segunda-feira, 8 de outubro de 2012

Ao novo Rei...

PRÓXIMO CAPÍTULO Quando chegou ao fim o nefasto reinado de Mãos Limpas a meiga, educada, honesta e trabalhadora rainha seguiu para o esquecimento e um novo rei, apelidado de Coração Vermelho, foi coroado. Após sangrentas batalhas entre os três concorrentes ao trono, muita difamação, bandeiradas e trocas de fogos de artifícios, Ribas-I foi coroado vencedor. A plebe vil foi cevada durante dois meses por todos os candidatos, esse ritual é tão arraigado que se transformou em tradição e ninguém ousa contestá-lo. Churrascos e bebidas a vontade engordaram o povo, promessas de melhorias e juras de eterno amor encantaram a população. Um jovem e riquíssimo príncipe, filho adotivo da rainha, nem sequer convidou a velha mãe para participar de suas palestras perante os súditos, aparentemente a honrada soberana já estava destronada há muito. Era o príncipe quem mandava e desmandava no reino em constante decadência, seus seguidores buscavam a continuidade e tudo era válido para a obtenção do intento. Na noite em que Coração Vermelho foi aclamado o novo soberano o povo correu a lhe prestar vassalagem... Coisas estranhas aconteceram. Pela primeira vez na vida uma dondoca da velha nobreza provou ao lado da plebe um churrasquinho de gato, o esforço valia a pena, quem sabe fosse notada por algum poderoso da nova corte e o rei informado de sua aparente humildade. No reino, aqueles que possuíam condução própria, durante os muitos entreveros entre as diversas facções inimigas escondiam as bandeiras símbolos de cada postulante ao trono em suas casas. Mal saia a decisão, a flâmula do vencedor era alçada da carruagem e mostrada em passeata a fim de confirmar que seu proprietário era amigo do rei desde a infância, esquecidos das fotos em que sorriam abraçados aos concorrentes. Novos tempos se aproximam! Oxalá as promessas sejam cumpridas, que os novos senhores mantenham a humildade no trato com o povo, trabalhem em beneficio da comunidade, mostrem serviço e que o rei escolha entre pessoas capazes seus auxiliares... Não há necessidade de revanchismo, pois toda a corte de Mãos Limpas seguirá para o esquecimento em definitivo... Seus conselheiros colherão do mal que semearam... A escuridão moral e ética passou... Que o reinado de Coração Vermelho seja o inicio de uma nova era de prosperidade... Salve o novo rei! Viva Ribas-I. Gastão Ferreira

Nenhum comentário: