sábado, 4 de agosto de 2012

Amiga Iara Cordeiro

A MULHER PÁSSARO....... A existência é um momento fugaz dentro da eternidade, a vida um sopro que se desfaz no tempo. A impermanência é a lei do progresso evolutivo. Tem gente que é como árvore, gente flor, gente espinho. Pessoas que são como grandes e majestosos rios, pessoas que são simples regatos, nascente e foz... São águas que se represam, águas que fluem, águas que evaporam e nem deixam lembranças. Eu conheço uma mulher pássaro, uma mulher ave... Não uma Ave Maria cheia de graça, nem uma Ave Amélia que era a mulher de verdade. Conheço uma Ave Mãe, uma Ave Amiga, uma Ave Professora, uma Ave Poeta, uma Ave Escritora. É também uma andorinha que adora o verão... Uma coruja sempre elogiando os filhos... Uma águia preocupada com seus alunos... Um sabiá que adora cantar. Minha amiga tem o riso fácil das pessoas felizes e bem resolvidas, a tristeza de quem sabe que não mudará o mundo por mais que tente. Minha amiga tem a alma de escritora, sabe que o homem é feito do pó das estrelas e do sopro divino do Criador... Sabe que ser humano é transitar entre a treva e a luz... Que fazer escolhas é arcar com as consequências... Provou do sabor do riso, das lágrimas, da magia, da chuva e do sol... Conhece o amanhecer e todas as nuances do ocaso... É poeta. Minha amiga não possui riqueza material, mas é rica em sabedoria. Sua cultura foi conquistada com muito estudo e dedicação. Também é rica de amigos... Excelente cozinheira, seus petiscos são famosos, suas batidas fazem sucesso... A emoção põe estrelas em seus olhos azuis, a única moeda que valoriza se chama lealdade. Minha amiga Beija-flor já se feriu em muitos espinhos, minha amiga Coruja já chorou como choram todas as mães que querem o melhor para seus filhos... Minha amiga Cisne perdeu o companheiro que amava e sem metade de sua alma por vezes se entristece. Ave solitária a desvendar mistérios, ave que voa para alem do mundo conhecido... Ave imaterial de grandes e poderosas garras... Fênix que renasce a cada dia, assim é Iara Cordeiro, a professora Iara, a poetisa, a escritora, a amiga. A mulher pássaro sonha em voar para alem das montanhas, para alem do mar... Quer alçar voo para um país onde as pessoas valorizem o Ser e não o Ter... Onde a inteligência seja reconhecida como mérito pessoal e não causa de inveja... Onde a humildade é a certeza de saber que somos feitos do mesmo barro comum... Que respeitar o próximo é a lei básica para ser feliz... Que a única superioridade válida é a superioridade moral... Que o passado não se apaga. Que ele foi parte da aprendizagem vida... Que somos crianças espirituais sonhando em voltar às origens. Um dia a velha Fênix partirá em busca de outra realidade. Vai à procura da felicidade... Conhecerá os deuses do Olimpo... Os segredos da eternidade... A fonte onde nasce o tempo e trocará ideias com Sócrates, Buda, Platão... Voará para alem das estrelas... Colherá o fruto da árvore da sabedoria... A luz que semeou brilhará radiosa e a Ave Iara estará feliz. Tem gente que é igual pedra bruta. Tem gente que é uma falsa pedra preciosa, que não tem brilho próprio e passa a vida tentando apagar a luz alheia. Tem gente que nasce para ser espinho... Gente arrogante... Gente mesquinha... Gente mal amada... Para contrabalançar tanto cinismo e falta de humildade, o universo raramente nos presenteia com anjos. Eles nos consolam na hora da dor... Eles nos mostram os perigos do caminho... Eles nos amam sem cobranças... Sabem que cada ser humano é o que é... Aceitam-nos! Ave de canto suave. Ave que não esconde as poderosas garras. Ave presa a terra... Sabiá, Cotovia, João-de-barro, Saíra Sete Cores, Coruja, Gaivota, Araponga, Andorinha, Beija-flor, Cambacica... A última Fênix... A professora e amiga Iara Cordeiro. Gastão Ferreira/2012

Nenhum comentário: