sexta-feira, 1 de junho de 2012

A primeira Zona...


LINDA PALOMA


         Final do século XVI, mais uma vez o terrível bucaneiro Will Wilsonson atacou a pequena cidade platina de “Soledad de Los Pampas”, raptando muitas donzelas desamparadas. Há bem a verdade, nem todas eram donzelas e entre elas apenas uma minoria era desamparada. Alana de los Prazeres era vovó e, portanto não era donzela. Linda Paloma gerenciava um mercadito, um entreposto de secos e molhados, ganhava uma boa grana, não era uma desamparada.
         Linda Paloma foi vendida em Cananéia ao senhor Manoel Joaquim, um degredado português muito piedoso e casto, seu sonho era montar um negócio rendoso, fácil de tocar e do qual possuía certa prática, motivo pelo qual fora abandonado nas costas das novas terras descobertas há um século por seus patrícios. Na sua cidade natal, Trás dos Montes, ele, a esposa e filhinha de sete anos tocavam em conjunto uma mansarda erótica para todos os gostos e taras. Trocando em miúdos, ele bolou uma novidade, um prostíbulo para paneleiros, lésbicas e pedófilos, onde somente os três da família atendiam a grande freguesia. A Santa Inquisição descobriu a aberração, queimou a mulher e a inocente criança numa fogueira, Manoel Joaquim conseguiu escafeder-se e acabou chegando a terra onde tudo que se planta dá e aqui se plantou.
         Dizem que o gato escaldado tem medo de água fria e Manoel era um gato escaldado. Abandonou Cananéia em direção a uma cidade próxima que possuía um famoso porto, montou uma bodega de molhados, pois Linda Paloma tinha experiência tanto em secos como em molhados, optou pelo molhado, ou seja, abriu um boteco de fachada e continuou com a prática adotada em Portugal. Linda Paloma era sua testa de ferro.
         À noite Manoel Joaquim travestida de Juanita Neris cantava tangos e milongas, dançava, sapateava e fazia “otras cositas mas” com los fregueses. Foi à primeira “drag” a dar show na cidade. Linda Paloma morria de inveja, enquanto seu patrão fantasiado de mulher se divertia, ela atendia aos bêbados e a meninada dura que vinha espiar o espetáculo.
         O que Juanita Neris não sabia é que Paloma atendia a domicilio. Durante o expediente escolhia a dedo dois guapos rapazes, após fechar o estabelecimento comercial chamava o porteiro Léo da Chácara e junto aos dois moços se dirigiam a sua residência onde davam inicio a algo chamado bacanal. A vizinhança começou a reclamar, ali era uma zona residencial e era proibido qualquer barulho após as vinte e duas horas.
         Linda Paloma era uma ninfomaníaca, uma Messalina caipira, seus gritos de põe aqui, põe ali, põe acolá, me bate, me surra, me chama de sacana, perturbavam o silencio noturno e causava constrangimento as jovens e puras donzelas que escutavam o berreiro. Seu Manoel Joaquim foi avisado... Resultado! Fez um puxadinho nos fundos do boteco e avisou a clientela; - “Após o fechamento do estabelecimento Linda Paloma atenderá aos mais afoitos na traseira do bar.” Foi assim que surgiu o primeiro bordel da cidade.

Gastão Ferreira/2012   

Nenhum comentário: