sábado, 7 de abril de 2012

Outra carta ao primo...


PRIMO...

Caro primo Incitatus, aguardando sua visita para o mês de Junho informo; - Tudo sobre controle! A cidade está um imenso canteiro de obras. Finalmente descobriram um salvador da pátria. É uma jovem liderança que explodiu em genialidade de uma hora para outra. Só para você ter uma ideia, quando vim para este paraíso ecológico há cinco anos, a tal jovem liderança não passava de um filhinho de papai, famoso por suas inúmeras conquistas amorosas e nada mais. Os humanos são bem diferentes de nós os cavalos! Você já ouviu falar de algum pangaré que de um momento para o outro passou a ganhar todas as competições esportivas? Não?... Nem eu!

Com os homens tudo é possível! São surpreendentes! Com muito pouco estudo entendem de tudo, acumulam cargos em cascata, isto é, fazem o serviço de cinco a oito técnicos sem mostrar o mínimo de esforço... Coisa de gênio! Óbvio! Ganham ordenados de gênios também. Pena que quase sempre a coisa não dá muito certo, tipo, as obras apresentam rachaduras, são muito caras e as pessoas comentam; -“Com toda esta grana que está disponível eu faria o triplo!” Mas quem critica são amadores e não profissionais, coisa de quem não entende do riscado.

Primo Incitatus, estou apavorado! Desde potrinho convivo com os homens, fui praticamente criado pelo grande Zorro e seu caso, digo, amigo Tonto. Ambas excelentes pessoas, defensores dos pobres e dos oprimidos, tinham suas pequenas desavenças, nada grave, apenas ciúmes ocasionais... Ontem assisti ao vivo e a cores a algo terrível. Foi na Praça da Matriz. Estava aproveitando o silêncio da noite para pastar uma grama bem maneira na orla do mangue, o capim por ali me deixa eufórico, dizem que a causa desta excitação são os restos de baseados largados no meio do mato pela garotada do tóxico, nem sei o que é isto, mas que funciona, funciona!

Estava pastando num boa e de repente comecei a ouvir vozes, gritos, xingamentos, pensei que era efeito do capim. Que nada! A gritaria continuava... Curioso foi espiar e fiquei paralisado de horror! Jamais assisti a cenas tão degradantes na minha vida. Um homem com uma roupa diferente parecendo vestuário árabe, com longos cabelos negros estava sendo julgado em praça pública... Um tal de Pilatos sem mais nem menos mandou dar a maior surra no coitado. Não satisfeito fez o infeliz carregar uma pesada cruz de madeira em volta da pracinha... Um soldado sádico enfiou uma coroa de espinho na cabeça da criatura... O povo delirava e gritava “Crucifique-o”, “Crucifique-o”... Pois não é que pregaram o pobre homem na cruz! Todos que estavam na praça bateram palmas e foram soltos muitos foguetes...

Estou morrendo de medo! Se fazem isto com um dos seus semelhante, imagine com um equino. Que falta que faz meu amado pai Zorro. Caso ele estivesse por aqui, toda aquela gente ia ver o que é bom para a tosse... Chicotada no lombo daqueles folgados era pouco! Como já assisti a morte de um cachorro por espancamento e hoje a crucificação de um pobre e indefeso cidadão, estou indignado! Nossos antepassados foram famosos e ficaram para a posteridade como heróis, alias Herói era o nome do cavalo do Fantasma, nosso ancestral comum o Cavalo de Tróia é lembrado até a atualidade, Bucéfalo acompanhou Alexandre Magno em suas conquistas e seu xará Incitatus participou com Calígula de suas loucuras, mas nunca ouvi falar de um cavalo que tenha morto alguém por divertimento.

É isto aí primo! Enquanto aguardo sua visita, vá conhecendo a cidade através das minhas cartinhas e ganhando novas experiências com os humanos. Um coice carinhoso no seu coração, de seu primo pobre...

Silver

Gastão Ferreira/2012

Nenhum comentário: