sexta-feira, 6 de abril de 2012

O ceguinho...


CHICO JUNIOR, O CEGUINHO...

Na antiga e bela cidade de Pindaíba do Norte vivia Chico Junior, um garoto muito esperto e inteligente. Junior era um órfão, um bebe encontrado a margem de uma estrada. Um único objeto fora deixado como herança por quem o abandonou, uma singela cruz de pedra engastada numa corrente de prata. Foi criado no orfanato “Doce Lembrança” e para ele o mundo era lindo, perfeito, maravilhoso, as pessoas eram todas honestas, boas, sensíveis e humildes. Um pequeno detalhe diferenciava Chiquinho do restante da molecada, ele era cego.
Chico Junior foi alfabetizado em braile e como todos sabem, os livros editados em braile português são fraquinhos. Juninho aprendeu inglês, ou melhor, aprendeu a ler inglês em braile. A dificuldade era saber o que ocorria ao seu redor, pois os jornais da pequena cidade não eram editados em braile. O garoto curioso pedia aos amiguinhos, não cegos, que lessem para ele os jornais da região.
Que maravilha! Milhares de pessoas participaram da “Festa de Maio” em louvor a Mãe Natureza. Cem mil fulanos e fulanas estavam presentes no último “Revelando Pindaíba”. O carnaval da cidade estava entre os maiores do planeta, as ruas sempre limpas eram o orgulho dos munícipes, o atendimento hospitalar de primeiro mundo. Pindaíba era tudo de bom! Os políticos de uma honestidade ímpar, nada de escândalos, nada de propinas, nada de superfaturar obras, os governantes eram tão amados pelo povo que recebiam apelidos carinhosos, “Mãos Limpas”, “Todo Amor”, “Alcaide Maravilha”, “Mãezoninha”... Que desfrute morar num lugar sem problemas!
Toda a noite antes de dormir Chiquinho agradecia do fundo de seu coraçãozinho ao “Boncris” (Bom Cristo), o amado protetor da comarca e pedia perdão pelos falsos, os mentirosos, os que levantavam aleivosias contra os mandantes da cidade, os que mentiam dizendo que não nasciam mais Pindaibenses porque não existia uma maternidade na urbe, pelos que inventavam que os mortos não tinham um lugar para serem velados. Orava pelos que falseavam a verdade ao dizerem que esperavam meses por uma consulta.
Como gostaria de enxergar, ver a beleza das praças centenárias com seus monumentos antigos, as límpidas fontes cristalinas onde os estudantes vão ler a sombra das árvores tão amigas, os passeios na orla do riacho com seu cimentado perfeito, os casarões preservados em seu esplendor original. Como são felizes os repórteres dos jornais! Andam por ruas limpas sem serem perturbados por pessoas carentes, por drogados, por alcoólatras, por pedintes de informação de como sair da cidade. Ah, esses jornalistas cheios de ética! São os olhos de Deus. São os grandes formadores de opinião, os que traduzem para a plebe a grandeza do local onde vivo... Obrigado meu “Boncris” por contarmos com a imparcialidade da imprensa. Obrigado meu “Boncris”! Como eu gostaria de um dia ver com meus próprios olhos tanta beleza e perfeição.
Chico escreveu para um programa de televisão contando sua história e falou de seu grande sonho; - Ver o mundo através de seus próprios olhos... O país inteiro se comoveu e Chiquinho foi para a cidade grande. Foi entrevistado, participou da Ana Maria Braga, Jô Soares, Fantástico e Mãe Lucibeth Resolve seu Problema... Resultado? Foi operado. Na verdade sua doença não era nada grave, catarata congênita não diagnosticada pelos excelentes médicos de Pindaíba por falta de aparelhagem.
Chiquinho esteve exposto na mídia por um longo período, ficou famoso. Recebeu muitas cartas, presentes e ofertas de um futuro melhor através de bolsas de estudos até no exterior. Nada aceitou! A única coisa que realmente desejava era voltar a sua adorada cidade e confirmar in loco o progresso, a beleza e a realidade que cercava a cidade onde nascera.
Henry Stuart II não voltou à cidade! Henry Stuart II? Sim! Este era o verdadeiro nome de Francisco Junior da Silva, o bebe abandonado à beira de uma estrada próxima a Pindaíba do Norte. Seu pai, o mega investidor Henry Stuart I em visita com a família ao Brasil sofrera um sequestro relâmpago e Henrizinho raptado para um futuro resgate milionário jamais foi encontrado, pois os policiais mataram toda a quadrilha sem fazerem perguntas e o único que escapou gravemente ferido abandonou o recém-nascido num local desconhecido e distante, vindo a morrer de hemorragia logos depois numa outra cidade.
Como Henry Stuart II foi reconhecido, perguntará o atento leitor? Foi reconhecido pela pequena cruz de pedra, presa a corrente de prata. Um poderoso amuleto ganho por seu pai quando visitou outra famosa cidade turística brasileira que tinha como totem a tal cruz. Quando Chico Junior apareceu na mídia, sem querer querendo, pois rico que é rico não assiste a qualquer programa bobinho de tevê, seu pai reconheceu imediatamente o amuleto e disse; Oh God! My Kid! E veio buscar seu pimpolho. Assim não ficamos sabendo o que Henry ou Chico Junior diria sobre Pindaíba, fica no ar a dúvida; - Os jornais falavam a verdade? Eram imparciais? Não sei!

Gastão Ferreira/2012

Nenhum comentário: