segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Uma história...


A HISTÓRIA DE BELLA...

O existir é algo maravilhoso, um milagre chamado Vida que ocorre entre o primeiro choro e o último suspiro. Nesse breve espaço de tempo tudo pode ocorrer. Cada ser humano é um personagem nesse palco mortal e bilhões de historietas são encenadas diariamente. Cada biografia com suas nuances, seus dramas, suas tragédias, suas comedias, nenhuma igual à outra. O palco Terra é o cenário e a criatividade é o limite de toda a criatividade.

Desde a mais remota antiguidade a Vida semeia contos e lendas. Fábulas sobre deuses e demônios, Zeus, Atenas, Apolo, Ulisses, Aquiles, Rômulo e Remo, Ícaro, Minotauro, a Esfinge, a Quimera, Vampiros e Lobisomens. Através do tempo mitos são criados e destruídos. Impérios aparecem e morrem! Isto se chama impermanência, uma palavra bonita para o que não sobrevive para sempre.

Quando Bella nasceu, seus pais nem desconfiaram qual a peça de teatro que se escondia por trás de tão lindo bebê. Seus cabelos loiros e os brilhantes olhos azuis chamavam a atenção, talvez porque na região pouquíssimas pessoas tinham essas características eslavas -“ Que coisinha fofa! Que belezinha! Qual o nome da princesinha?”

Na pequena cidade onde Bella cresceu, todos admiravam sua beleza, sua fina educação, sua bondade, sua alma caridosa, mas do que ninguém desconfiava era que Bella guardava um terrível segredo. Um mistério que a diferenciava de todos os habitantes do local. Bella tinha um probleminha! Bella não era perfeita! Bella era diferente! Nunca existiu alguém como Bella.

Algo que chamava a atenção era a inteligência inata, a facilidade em aprender qualquer coisa, Bella era superdotada, aos quinze anos falava, lia e escrevia em doze idiomas, além de entender de física quântica, agronomia, psicologia, química e outras dezenas de ramos da ciência. Assim que concluiu os estudos básicos, ganhou uma bolsa de estudo, sua família era extremamente pobre e ficou feliz em ter uma filha formada em uma Faculdade. Bella foi viver numa cidade grande e com ela seguiu o terrível segredo.

Aos vinte e dois anos, formada em Medicina, prestava serviço num grande hospital e foi nesta clínica que conheceu Paulo, o grande e único amor de sua vida. Paulo também era médico. Classe media alta, o casal tinha uma vida cercada do que havia de melhor, o melhor carro, o melhor condomínio, uma bela casa de praia. Boa filha, nunca se esquecia dos pais e sempre que podia ia visitá-los. Foi na volta de numa dessas visitas que o carro sofreu uma pane e o casal parou o veículo no acostamento da rodovia.

Os três garotos desceram do automóvel e sem dizerem uma palavra mataram Paulo e Bella. Colocaram os corpos na porta mala e posteriormente enterraram a beira mar. Os cartões de créditos foram usados por algum tempo, o carro vendido para um desmanche e pelo que consta o crime continua insolúvel até os dias de hoje.

Assim é a Vida, esse enigma impermanente. Essa força misteriosa que dá brilho as estrelas, que fez de um pequeno planeta azul, um palco onde são representados bilhões de textos e foi nesse mundo chamado Terra que Bella, a garota loira e de olhos azuis, com um terrível segredo que a acompanhou desde o berço, representou seu personagem.

Gastão Ferreira/2011

Observação; - O terrível segredo era nada mais, nada menos... Bem! Bella já morreu... Deixa pra lá o tal segredo.

Um comentário:

Ana Holanda disse...

Gosto muito de suas crônicas.