quarta-feira, 23 de março de 2011

QUERIDA VOVÓ JULIETA



QUERIDA VOVÓ

Querida vovó Julieta, como prometi, estou enviando notícias da cidade que a senhora visitou há mais de oitenta anos. Sei que a senhora está completamente lúcida em seus noventa e oito anos de vida, mas algumas de suas lembranças não batem. Não encontrei o famoso porto aonde seu barco vindo do sul aportou, também não avistei nenhum marinheiro da lendária Capitania dos Portos. Os prédios seculares no entorno da Praça São Benedito estão em ruínas, acredito que são os mesmos de suas memórias por causa dos Leões Venezianos sobre o que resta de um belíssimo sobrado, as feras ainda estão por lá.

Como à senhora sempre diz; - “Papel aceita qualquer coisa, meu neto!”, confirmei in loco sua afirmativa, a propaganda oficial mostra uma cidade maravilhosa, com ruas limpas, sem pedintes, prédios em excelente estado de conservação, placas informativas de trânsito de dar inveja à Nova York, segurança de primeiro mundo, hotéis e pousadas sete estrelas, gente educada e sempre sorrindo, sem lixo nas calçadas e sem ex-animais de estimação disputando restos de comida.

Segundo os informes oficiais cem mil turistas visitam a cidade na atual temporada, o município tem aproximadamente 29.000 habitantes... Coisa de louco! Os nativos estão contando os dias para o término da tal temporada para poderem voltar a interagir entre si, pois com tanta gente estranha nas ruas não conseguem encontrar os amigos e parentes.

Por aqui as pessoas são bastante amistosas com os visitantes, tirando os pedintes que ficam nos assediando vinte e quatro horas, não há do que reclamar. Dizem que a cidade é muito pacata, isso na afamada propaganda oficial. Fui informado que no decorrer dos festejos de Momo não é bem assim, pois até os animais brigam. Nada de anormal, gato com cachorro, gato com rato, aranha com mosca, onça com jaguatirica... Neste carnaval foi muito comentada uma surra que um filhote de galinha deu num veado catingueiro, como a cidade está situada no sopé de uma montanha acho que o veadinho se empolgou e acabou apanhando ou talvez tudo isso não passe de lendas urbanas.

Bati muitas fotos e assim a senhora poderá comparar com as do inicio do século passado que estão em seu álbum. A cidade foi tombada recentemente (Não vovó! Não foi terremoto.) e agora faz parte do Patrimônio Histórico Brasileiro, o casario da Praça da Basílica e a própria praça está igual ao que era no século XIX. Ao voltar para casa quero conferir as fotos de hoje com as suas, parece que nas suas fotos a Praça era cercada por um gradil e no centro da pracinha havia um laguinho, não tenho certeza, mas como tombamento federal é coisa séria e custa uma grana preta é bom ficar atento e denunciar o não cumprimento das leis.

Por falar em praça, no centro da Praça da Basílica colocaram uma cruz de pedra muito antiga datada do século XVI. A senhora talvez se lembre da cruz, pois segundo afirmam, hoje o centro histórico é o mesmo que era há duzentos anos. O grande hotel São Paulo em que a senhora ficou hospedada está completamente deteriorado, uma pena, pois é um prédio magnífico e guarda lembranças de visitantes ilustres.

Querida vovó Julieta, logo estarei em casa e a senhora poderá matar a saudade da cidade de sua juventude. Levarei o boletim da propaganda oficial, alguns jornais da cidade e muitas e muitas fotos. A senhora sabe que uma foto vale mil palavras, vamos juntos conferir as mudanças ocorridas. Um beijo do neto que muito lhe estima.

Neto

Gastão Ferreira/2011

2 comentários:

Anônimo disse...

isso é tudo mentira quee saco

Anônimo disse...

iso é tudo mentiraa q sacoo