sábado, 8 de janeiro de 2011

MARIAZINHA


HISTÓRIAS DO FIM DE MUNDO

Existe uma terra para alem da última fronteira conhecida. Um lugar esquecido que não consta de nenhum mapa. Um lugar onde tudo pode acontecer. Um lugar chamado Fim de Mundo...

MARIAZINHA

A guria foi encontrada ainda bebê sendo amamentada por uma macaca na orla da grande floresta por dona Benta, a gorda. A mulher era uma pessoa muito bondosa e honesta, matou a macaca e vendeu o bebezinho para sua melhor amiga, dona Geny, a santa.

Dona Geny era mesquinha e intolerante, proprietária da única casa de tolerância em Fim de Mundo, comprou a menininha com o intuito de garantir seu plantel... A escolha do nome foi um problemão... Shauana, Thalulla, Thiusdei, Cristal, etc... Todos nomes de guerra que não colaram e a infante foi chamada de Mariazinha.

Mariazinha era amada, no bom sentido, por todos os fregueses de madame Geny que já estavam de olho no futuro da moleca. Na hora do banho faziam fila para espionarem a nudez da criança, pagavam uma nota preta à babá, que colocava o dinheiro em um cofrinho apelidado pé-de-meia. Mariazinha conferia o valor de cada cédula, pois não confiava em nenhum dos cafajestes pedófilos que adoravam ver uma inocente menininha tomando banho pelada.

Um belo dia o Conselho Tutelar bateu na porta da zona, uma denúncia não tão anônima, o levou até lá. Um dos muitos manda-chuvas da localidade não quis pagar pelo programa usufruído e depois de um bate boca delatou madame Geny às autoridades competentes que também não saiam da casa de tolerância, mas que nunca notaram a presença de uma criança servindo drinques nas mesas, a desculpa esfarrapada foi que pensavam que era uma anãzinha.

Mariazinha foi despachada para a Casa da Criança Feliz, um abrigo para menores que sofriam maus tratos familiares, queimaduras, torturas, estupros, surras diárias e “otras cositas mas”. Um mês depois foi retirada, na calada da noite, da instituição. Ensinou tanta sacanagem para a criançada que a casa estava virando um prostíbulo. Assim os humanitários e competentes conselheiros devolveram Mariazinha para a floresta.

Passou um tempo e um helicóptero pousou em Fim de Mundo. Dele desceu uma imponente figura. Estava tentando confirmar uma história da qual ouvira rumores... Um bebê achado na floresta há oito anos. Um caçador matara um filhote de macaco durante um safári de um milionário e sua família. A mãe do macaquinho fuzilado raptou o bebê, filha do ricaço, e, fugiu para a mata. O nababo estava oferecendo uma nota fabulosa a quem encontrasse sua única herdeira.

Toda a população de Fim de Mundo participou da busca, não era pelo dinheiro diziam, era por amor a criança que desaparecera da Casa da Criança Feliz... Mariazinha. Um cachorro abandonado encontrou a menina na margem de um pequeno rio, brincando com pedrinhas brilhantes, a garotinha guardou algumas no bolso e seguiu o cão. A imponente figura colocou o cachorro sarnento e a menininha no helicóptero, deu adeus à cidade dizendo:-“ Vou levar o cão para receber a recompensa.”

Fim de Mundo nunca mais foi à mesma. Passado algum tempo a floresta foi comprada por gente estranha. Colocaram arame farpado a sua volta, muitos aviões aterrizaram dentro da mata, homens armados impediam a passagem pela selva. As pedrinhas com as quais Mariazinha brincava eram diamantes e seu rico papai comprara as terras. Fim de Mundo, hoje é uma cidade tombada. Parou no tempo, as velhas casas desabando na espera que Mariazinha retorne ao local onde foi tão feliz... Mariazinha nunca mais voltou, aliás, seu verdadeiro nome era Catherine e a única coisa boa que fez por Fim de Mundo foi comprar pelo menor preço a zona de madame Geny e tocar fogo. O cachorro sarnento, agora muito pimpão a acompanha em suas viagens pelo planeta.

Gastão Ferreira/2011

Observação:- Este texto é para exercitar a imaginação. O único animal que possui a capacidade de criar é o bicho homem.

Um comentário:

www.ranierimirandaveraz.blogspot.com disse...

essa foi boa de mais parabens.....bom dia