sábado, 5 de dezembro de 2009

SAUDADE


SAUDADE

Saudade é um barco navegando em nossa mente, ocupando o pensamento com sua carga de lembranças passadas. Tenho tantas saudades! Meus pequenos barcos flutuando nos mares do existir, meus navios de sonhos falidos e abandonados, mas que deixaram suas marcas, seu peso, risos e dor. Minhas lanchas de amores desencontrados que foram a pique em meio a tantas tempestades.
Saudade! Tantos barcos que partiram... Pai, mãe, amigos... Barcos que se foram e nunca mais regressaram. Oh! Minha saudade. Por quantos nomes te conheço? Por quantos nomes te chamei? Por quantos nomes chorei?Quanta marca no meu rosto tem o teu nome?Quanto da tristeza em meu olhar é uma lembrança tua? Oh! Essa breve brisa tem o teu cheiro. Essa comida o teu gosto, essa fome a vontade de te abraçar novamente, de falar coisas que por esquecimento nunca falei, de dizer da importância de uma amizade, do valor de um sorriso na hora certa, da mão estendida para o auxílio, da conversa jogada fora, mas que valeu por uma aula de vida, dos conselhos, dos mimos, dos afagos no coração... Oh! Saudade... Oh! Saudade.
Um dia quando eu partir desse porto vida para o mar da eternidade, meu barco existir buscará outro cais, outro porto e será minha saudade o farol a nortear o meu barco, só ela sabe onde estão meus sonhos perdidos, meus pais, meus amigos e lá nesse mar sem fim já não estarei só, pois também serei saudade.

Gastão Ferreira

Nenhum comentário: