quinta-feira, 12 de novembro de 2009

O BARRACO CAIU !




O BARRACO CAIU!

Naquela cidade tão perto do mar... Nas igrejas, nos bares, nas lojas e pizzarias. Na zona rural e em outras zonas o assunto era um só:- O barraco vai cair!
Foi o maior alvoroço, com direito a passeata, carro de som nas ruas, mocinhas e velhinhas nas calçadas portando faixas com dizeres. Todos os moradores ficaram abismados e esperançosos, as dondocas esquecidas de dondocar, os mendigos de mendigar, pedintes de achacar, pescadores de pescar e óbvio, pecador de pecar.
Passou até em horário menos nobre na televisão. Tudo começou após um crime hediondo, o assassinato de um pacato comerciante. A irmandade exigiu providencias imediatas. Basta de violência! Queremos segurança plena! Ou fazem-se as mudanças ou abrimos os arquivos secretos e doa a quem doer.
As autoridades (in) competentes estavam com uma batata quente nas boas mãos. Um chororô de partir coração corrompido, lágrimas de molhar as mãos limpas... Oh! Maínga. Como sofre um bom cristão com uma alma cheia de amor para dar, vender ou alugar.
Para complicar, uma carta anônima devastou reputações ilibadas. Um morador da roça, da zona rural, um sitiante semi-analfabeto, qual político ofendido colocou a boca no trombone, ou melhor, colocou uma carta no correio... Deve estar apavorado até hoje, pois até Mãe de Santo foi consultada para descobrir o sacana, mas como era anônimo... Continuou anônimo.
As mudanças serão imediatas! Tudo vai mudar! Todos vão mudar! Em quinze dias quem viver verá! O barraco vai cair!Pois não é que acertaram... Começou a chover, chover e chover.Deu um vendaval e naquela cidade, tão perto do mar, os irmãos fizeram as pazes com a parentada e tudo continuou como antes .Só o Ditinho se ferrou, com tanta chuva e vento, seu barraco caiu!

Gastão Ferreira

Um comentário:

Ana disse...

Uma bela explanação sobre um assunto tão dificil de ser denunciado e tão evidente,só nçao ver quem não quer.