sábado, 21 de novembro de 2009

APLAUSO AOS CORRUPTOS


APLAUSO AOS CORRUPTOS

Você pacato cidadão que aplaude e dá tapinhas nas costas de um indivíduo corrupto, dê um tempo... Ponha a mão na consciência e pense um pouco, só um pouquinho para não danificar seus inocentes neurônios.
Você tem idéia de onde vem essa paradeira, esse desânimo frente ao progresso que nunca chega e essa falta de perspectiva que nos aflige? Essa sensação de que nada vale à pena?
Você sabe de onde veio o dinheiro do corrupto? Duvido!... Veio da falta de melhores escolas, de um emprego mal remunerado, de um alimento mais caro. Veio da criança desnutrida, da falta de remédios, da exploração da pobreza, da falta de caráter de quem se apossa do que não é seu por direito.
Esse dinheiro, essa grana, esse dindim veio da morte do teu sonho não realizado de melhorar de vida, da impossibilidade de formar teus filhos para fugirem da pindaíba, do acabamento de terceira da tua casa, da roupa nova que não podes comprar, do lazer que gostarias de ter e não podes pagar.
Sabe por que, cidadão? Sabe!... Dinheiro não dá em árvores. Dinheiro vem do trabalho de quem produz. Do homem que levanta cedo para cuidar do campo, da horta, do plantio. De quem acorda de madrugada para dar duro numa indústria, numa fábrica, num comércio. De quem quebra pedras, pinta, pesca,ergue casas, varre ruas, recolhe lixo, dirige ônibus. De quem sua a camisa oito horas por dia para poder comer, vestir e pagar impostos.
Taí!... Pagar impostos. Leu direitinho, cidadão? Pagar impostos! Só não pagamos impostos do ar que respiramos; o restante, desde a água da torneira até a certidão de óbito, tudo tem imposto embutido. Tem parte do teu ganho, do teu salário, das tuas dores, da comida não comprada, da saúde comprometida, do teu amanhã com menos esperanças.
Quando um esperto cidadão, gente como a gente, se apossa de parte desse dinheiro em maracutaias, lembra?... Dinheiro não dá em árvores, esse dinheiro veio do trabalho de alguém. Desse dinheiro uma parte veio de você, do imposto que foi imposto a você. Esse esperto cidadão te roubou... Ele é um ladrão, um mão-leve, um corrupto, um aproveitador do suor alheio. E você pacata e honesta criatura, fica aplaudindo, tomando dores, se expondo ao ridículo ao defender o indefensável.
Pacato cidadão, você merece a vidinha que tem. Você merece sofrer, passar fome, não ter dignidade, ser espoliado descaradamente. Você não tem vergonha na cara, e é essa sua falta de vergonha que nos trás a pobreza, a penúria, a doença, a falta de segurança, a morte dos sonhos. Porque quando você bate palmas , afaga, sorri complacente e dá tapinhas nas costas do ladrão, você está aprovando sua maneira de agir, você está banalizando uma atitude reprovável, um comportamento imoral e dando um péssimo exemplo de cidadania a seus filhos, seus amigos e a seus companheiros de existência.
Valorizando o que não presta, você dá continuidade e aprovação ao ilícito, à maldade, à ganância, à injustiça e reconhece publicamente como um bom negócio a falta de caráter e a desonestidade.

Gastão Ferreira

Nenhum comentário: