quarta-feira, 17 de junho de 2009

O SORRISO DO MORTINHO


O SORRISO DO MORTINHO

OI AMIGÃO! TENHO UMA NOVIDADE PARA CONTAR, PAPAI ME LEVOU A UM VELÓRIO. MAIS UMA AULA DE APRENDIZADO E CIDADANIA. O MORTO ERA O SEU CAZÉ, UMA PESSOA MUITO QUERIDA E AMADA POR SEUS VIZINHOS, UMA ESPÉCIE DE SEGURANÇA DA RUA ONDE MORAVA. SABIA DE TUDO O QUE ACONTECIA, AS PEQUENAS E GRANDES DESAVENÇAS FAMILIARES, FURTOS E ASSALTOS NA MADRUGADA. QUEM NAMORAVA QUEM. O QUE SE COMIA E BEBIA. QUEM PULOU A CERCA. CERCA? NÃO SEI POR QUE? HOJE EM DIA AS CASAS TÊM MUROS, MAS TENHO CERTEZA QUE O POVO FALOU CERCA!
SEU CAZÉ MORAVA NOS FUNDOS DE UMA VELHA CASA E O VELÓRIO FOI POR LA MESMO. OS AMIGOS LEVARAM CAFÉ, BOLO, CERVEJA E FRANGO FRITO. ENQUANTO OS FAMILIARES DAVAM ADEUS AO DEFUNTO ENTRE GRITOS, DESMAIOS E CHORADEIRA, O PESSOAL CHAMADO “PAPA DEFUNTO” COMIA E BEBIA GRÁTIS E A VONTADE. UM VIZINHO QUE TOCA TROMBONE QUERIA HOMENAGEAR O PARTINTE COM SUA ARTE, NINGUÉM DEIXOU, O DEFUNTO GOSTAVA ERA DE RABÉCA E COMO FOI IMPOSSÍVEL ENCONTRAR UM TOCADOR DE TAL INSTRUMENTO FICAMOS OUVINDO MÚSICA POPULAR BRASILEIRA.
OS PARTICIPANTES DO “ÚLTIMO ADEUS” COMENTAVAM ENTRE SI QUE O DEFUNTO ESTAVA SORRINDO EM SEU CAIXÃO. MEU PAI NÃO QUIS QUE EU OLHASSE PARA NÃO FICAR IMPRESSIONADO. ENTÃO POR QUE ME LEVOU? LEVOU-ME POR QUE? COMEÇOU UM DIZ QUE DIZ SOBRE O SORRISO ZOMBETEIRO DO MORTINHO. UNS AFIRMAVAM QUE ELE SORRIA PORQUE NÃO DEIXOU HERDEIRO PARA TOMAR CONTA DA ESQUINA ONDE PASSAVA O DIA CUIDANDO DA VIDA ALHEIA. OUTROS COMENTAVAM QUE O SORRISO ERA DE VINGANÇA DEVIDO À NOVA LEI NA CIDADE PROIBINDO FICAR NA JANELA OBSERVANDO OS PASSANTES. SEI LA! ACHEI QUE O SORRISO ERA DE ESPANTO POR TANTA GENTE ESTAR PARTICIPANDO DO EVENTO, TIPO:- ESTOU MORTO, MAS FELIZ! QUE SE DANEM! VOCÊS PERDERAM UM GUARDIÃO GRÁTIS DA MORAL ALHEIA! RARARARA.
CONFESSO QUE NÃO APRENDI MUITA COISA. OS PARENTES CHORAVAM E APROVEITARAM A OCASIÃO PARA ABRAÇAR TODO O MUNDO, DANDO UM ÓSCULO DE AGRADECIMENTO EM CADA PARTICIPANTE. MEU PAI NÃO DEIXOU QUE ME OSCULASSEM E DISSE:- FILHO! ÓSCULO É NA FACE. SELINHO NÃO É ÓSCULO. É SACANAGEM!
UM PADRE ENCOMENDOU A ALMA QUE PARTIA. UM PASTOR FEZ UMA LONGA ORAÇÃO E UM PAI DE SANTO, UM DESPACHO NA ENCRUZILHADA PRÓXIMA, AFIRMANDO QUE COM TAL PRÁTICA O MORTINHO ESQUECERIA SUA ADORADA ESQUINA E SEGUIRIA PARA O ALÉM A FIM DE JUNTAR-SE A SEUS IGUAIS.
O FÉRETRO FOI ACOMPANHADO A PÉ. OS CATÓLICOS CANTAVAM “COM MINHA MÃE ESTAREI”, OS CRENTES “SEGURA NA MÃO DE DEUS” E OS DO FINAL DO CORTEJO “SAUDOSA MALOCA” E “AÍ QUE SAUDADES DA AMÉLIA”.
ESSE FOI O PRIMEIRO ENTERRO DO QUAL PARTICIPEI E ESTOU RELATANDO OS FATOS PARA QUE VOCE NÃO ENTRE EM FRIA. SONHEI COM O SORRISO DO MORTINHO, QUE NA VERDADE NEM VI. SERÁ QUE ELE VIROU ASSOMBRAÇÃO?
UM ABRAÇO DO AMIGO DUDÚ.


GASTÃO FERREIRA/IGUAPE/2009
WWW.gastaodesouzaferreira.blogspot.com

Um comentário:

Edilson disse...

Gostei. Muito bom!