sábado, 27 de junho de 2009

AMADA IGUAPE



AMADA IGUAPE


Oh Iguape!
Solo do meu exílio
Terra que escolhi!

De ti não nascido
Não me tivestes
Como filho...

Mais saiba
Terra amada
Que eu sou teu!

Princesa do litoral
Não és minha mãe
És minha amante...

É do teu ar
Que vivo
Que palpito...

Tua alma
É meu sangue
Minha seiva.

Saiba...
Oh minha amada!
Amada Iguape

Quando meus olhos
Cansados de viver
Bem no meu fim...

Serão teus montes
Matas e cascatas
Que levarei comigo.

E no esquecimento
Oh minha amada!
Serei o teu cantor.

Quando o silêncio
Vier morar comigo
Saberás que sou teu

Pois em teu solo
Ficarei para sempre
Dormindo em teu chão

E numa morte assim
Sonhado encanto
Serei bem mais feliz

Serei teu vento
Ruas e calçadas.
Serei teu aprendiz!

Aprendiz do amor,
Minha princesa!
Em fim serei só teu!

GASTÃO FERREIRA/2009

quinta-feira, 25 de junho de 2009

CONSEGUI


CONSEGUI

Novo amor está chegando
E eu me sinto tão feliz...
Assim estou te avisando:
- Do passado!Me desfiz.

Já não ando pelas ruas
na procura bar em bar!
As tristes lembranças tuas
todas perderam o lugar...

Não ouço mais a risada.
Teus passos no corredor.
Não tenho alma magoada.
Do peito arranquei a dor...

Mandei embora a saudade
e nem penso em te rever.
Eu sou feliz de verdade:
- Eu consegui te esquecer!

GASTÃO FERREIRA/2009

terça-feira, 23 de junho de 2009

AMOR DO PASSADO


AMOR DO PASSADO

O meu amor do passado
tão presente está em mim.
Sombra sorrindo a meu lado
perfumando o meu jardim...

Eu colho todos os dias
as flores que eu plantei.
Dei teu nome às fantasias
que no meu peito guardei.

Se é mentira ou verdade...
Ou um sonho que inventei
pergunto a minha saudade.
Só eu sei o quanto amei...

Hoje em terra distante...
sem as cantigas do mar.
Não te esqueço um instante
Jamais deixei de te amar!

GASTÃO FERREIRA/IGUAPE/2009

CRÔNICAS DE PINDAÍBA -(5)


CRÔNICAS DE PINDAÍBA (5)

A FUGA DOS ESCRAVOS

MUITOS E MUITOS ANOS APÓS A REDESCOBERTA, PINDAÍBA TRANSFORMARA-SE NUMA PRÓSPERA FREGUEZIA. FOI O FAMOSO CICLO DO OURO. AS DONDÓCAS DA ÉPOCA SALPICAVAM OS CABELOS COM O PÓ DO PRECIOSO METAL PARA MOSTRAREM QUE NÃO ERAM APENAS UMAS INÚTEIS, MAS TAMBÉM MUITO RICAS E A FIM DE DAR O GOLPE DO BAÚ EM ALGUM OTÁRIO OU TURISTA ESTRANGEIRO. FOI UM PERÍODO DE FAUSTO, OPULÊNCIA E DE TERRÍVEIS CAÇADORES DE ESCRAVOS FUGITIVOS.
POR ESSE TEMPO EXISTIAM ESCRAVOS PARA TUDO, ERAM CONSIDERADOS ANIMAIS MÁQUINAS, SEM SENTIMENTO, SENSO MORAL OU HONRA. FAZIAM O SERVIÇO BÁSICO; - CARREGAR PENICO, LIMPAR BUNDAS SUJAS, LEVAR RECADOS PARA AMANTES, NAMORADOS E SUSPEITOS. PODIAM SER ESTUPRADOS, AÇOITADOS E ESPANCADOS POR QUALQUER NINHARIA E HAVIA ATÉ LIVROS ENSINANDO COMO MALTRATAR UM ESCRAVO SEM PROVOCAR ÓBITO. AS MAL AMADAS E FEIAS DIVERTIAM-SE TORTURANDO BELAS AFRICANAS. GOSTAVAM DE PRATICAR SUAS ARTES APÓS A MISSA DIÁRIA, POIS COMO ESTAVAM SEM PECADOS E PURAS, NADA COMO UMA MALDADEZINHA COM UM ANIMAL FALANTE PARA COMEÇAR BEM O DIA.
OS CORONÉIS, MAJORES E CAPITÃOS MANDAVAM NA VILA E CONSIDERAVAM OS MORADORES LOCAIS COMO SEUS BICHOS PARTICULARES. ERAM OS DONOS DO PEDAÇO, OS MANDATÁRIOS, OS QUE DETINHAM O PODER DE VIDA E MORTE. A FILA PARA O BEIJA-MÃO ERA LONGA. COSTUME ESSE QUE PERDUROU NO TEMPO, BASTA NOTAR COMO A MAIORIA DAS PESSOAS ADORA PUXAR SACO DE QUEM SE JULGA PODEROSA. OS CORONÉIS, QUASE SENHORES FEUDAIS, CASAVAM SEUS REBENTOS ENTRE OS PRÓPRIOS PARENTES PARA NÃO DIVIDIREM A FORTUNA AMEALHADA COM TANTA MARACUTÁIA, O QUE ERA ÓTIMO, POIS EM DUAS OU TRES GERAÇÕES TODOS OS DESCENDENTES APRESENTAVAM PROBLEMAS MENTAIS, DETONAVAM OS BENS HERDADOS E ERAM DEFINITIVAMENTE ESQUECIDOS.
A GENTE MIÚDA, COMO ERA CHAMADA OS SEM TÍTULOS, TRABALHAVAM PRÁ CACETE, ALGUNS PRODUZIAM AGUARDENTE, OUTROS PINGAS E MUITOS OUTROS CACHAÇA. PINDAÍBA PROSPERAVA. UM GÊNIO, DESCENDENTE DE QUARTA GERAÇÃO DE UM PODEROSO CORONÉL DEU A MAGNÍFICA IDÉIA DE UNIREM UM GRANDE E CAUDALOSO RIO, PRÓXIMO A VILA, COM O LAGAMAR. COMO A MÃO DE OBRA ESCRAVA ERA BARATA, OS TRABALHADORES NÃO GANHARIAM NADA. A COMIDA NA REGIÃO ERA MUITO FARTA, CAJAMANGA, BOLINHO DE RODA, MANJUBA, BAGRES, TATÚ, PORCO DO MATO, AIPIM, FARINHA DE MANDIÓCA, TUDO COMIDA DE POBRE E PARA QUEM RECLAMASSE DA EXCELENTE ALIMENTAÇÃO, CHICOTE NO LOMBO E PELOURINHO PARA APRENDEREM A RESPEITAR QUEM OS TRATAVA COM TANTO AMOR E CONSIDERAÇÃO.
OS ESCRAVOS, COM SUÓR, LÁGRIMAS E ESPANCAMENTOS, ABRIRAM UM INSIGNIFICANTE VALINHO DE DOIS METROS DE LARGURA POR TRES QUILÔMETROS DE COMPRIMENTO AO LARGO DA VILA. NA CONCLUSÃO DA OBRA UMA FESTANÇA COM FOGUETES, TAINHAS ASSADAS NA FOLHA DA BANANEIRA, CASADINHO DE MANJUBA, CAMARÕES, MUITOS DISCURSOS E CACHAÇADA. OS ESCRAVOS FICARAM NUM LOCAL MAIS AFASTADO PARA NÃO PERTURBAREM SEUS SENHORES COM PEDIDOS DE RESTOS DA FARTA COMILANÇA.
ESTAVAM TODOS DANÇANDO E CANTANDO AO SOM DE RABÉCAS QUANDO O TEMPORAL COMEÇOU. OS ESCRAVOS, PREOCUPADOS COM A SAÚDE DE SEUS AMOS TORRADOS, OS CARREGARAM PARA SUAS BELAS CHÁCARAS. CHOVEU PRÁ DEDÉU E O VALINHO DE DOIS METROS PASSOU A TER TREZENTOS METROS. MUITAS CASAS, BOIS, CACHORROS, PORCOS, GALINHAS, MACACOS, TAMADUÁS E FORMIGAS, ASSIM COMO CATIVOS GENTILMENTE ACORRENTADOS EM SENZALAS FORAM PARA O BELELÉU. TODOS OS ESCRAVOS FORAM ESPANCADOS POR NÃO ENTENDEREM DE ENGENHARIA E DAÍ PARA FRENTE PROIBIDO POR LEI DE ABRIREM ATÉ MESMO UM INSIGNIFICANTE POÇO CASEIRO.
COM O ALARGAMENTO DO VALINHO MUITOS POBRES MORRERAM OU PERDERAM SUAS RÚSTICAS MORADIAS, MAS COMO POBRE NÃO FAZ FALTA, NINGUÉM LIGOU, E, EM CASO DE RECLAMAÇÃO MANDAVAM SE QUEIXAR AO BISPO. COMO O BISPO MORAVA LONGE E TAMBÉM NÃO DAVA A MÍNIMA PARA POBRE, A VIDA CONTINUOU A MESMA PORCARIA DE SEMPRE.
DE UM DIA PARA O OUTRO PINDAÍBA AMANHECEU SEM ESCRAVOS. TODOS OS CATIVOS DESAPARECERAM. AS MADAMES NÃO SABIAM COMO ARRUMAR UMA CAMA, TOMAR BANHO, COZINHAR, LIMPAR A CASA OU FAZER TODAS ESTAS COIZINHA QUE QUALQUER RAINHA DO LAR, POR MAIS MEDÍOCRE QUE SEJA, FAZ DANDO RISADINHAS DE ALEGRIA. AS SENHORAS RESOLVERAM FICAR NA JANELA AGUARDANDO O RETORNO DOS FUGITIVOS, E É POR ISSO QUE ATÉ HOJE VEMOS TANTAS MULHERES ESPIANDO POR JANELAS E PORTAS, COMO NÃO SABEM FAZER NADA NA VIDA, ESTÃO ESPERANDO A VOLTA DAS ESCRAVAS, TAMBÉM CONHECIDAS COMO DIARÍSTAS OU EMPREGADAS DOMÉSTICAS.

(NÃO LEVEM A MAL:- QUALQUER SEMELHANÇA É MERA COINCIDÊNCIA)

GASTÃO FERREIRA/2009/IGUAPE
www.gastaodesouzaferreira.blogspot.com

FIZERAM COCÔ EM IGUAPE


FIZERAM COCÔ EM IGUAPE

IGUAPE EM 2009 ESTARÁ COMPLETANDO 471 ANOS DE SUA FUNDAÇÃO. COMO PONTO REFERENCIAL É MUITO MAIS ANTIGO. AQUI JÁ PERAMBULAVAM BUCANEIROS, PIRATAS E DEGREDADOS EUROPEUS BEM ANTES DO DESCOBRIMENTO OFICIAL EM 1.500. POR NOSSO LAGAMAR NAVIOS INGLÊSES, FRANCÊSES, ESPANHÓIS E PORTUGUÊSES FAZIAM ESCALA PARA REABASTECIMENTO DE ÁGUA E VÍVERES.
ESTUDOS APONTAM QUE OS FORMADORES DE SAMBAQUIS HABITAVAM A REGIÃO A 15.000 AC, E NOSSA TERRA ERA FARTA EM CAÇA E PESCA. A PIRACEMA DA TAINHA TRAZIA CENTENAS DE SILVÍCOLAS DO INTERIOR ATÉ NOSSAS PRAIAS ONDE PESCAVAM E MOQUEAVAM O PEIXE PARA CONSUMIR EM SUAS TABAS DISTANTES.
ENTRE MILHARES DE VIVENTES QUE ADMIRARAM ESSAS VERDES MONTANHAS QUE NOS CERCAM, QUANTAS HISTÓRIAS ROLARAM? AMOR, ÓDIOS, AMIZADES, FOFÓCAS E NAMORICOS. QUANTAS PESSOAS ILUSTRES EM SUAS ÉPOCAS E HOJE TOTALMENTE DESCONHECIDAS PISARAM NOSSAS CENTENÁRIAS CALÇADAS? QUANTAS RECORDAÇÕES EM LUGARES LONGÍNQUOS FALAM DE NÓS?
E NÓS, MEROS FIGURANTES NESSE CENÁRIO DESLUMBRANTE, DIVIDIDOS ENTRE FORTES E FRACOS, TAMANDUAS E FORMIGAS, CARNEIROS E CORDEIROS, DE MARTE E DA TERRA, MÂNCIOS E BRAVIOS, BRANCOS E NEGRÕES, CEGOS PERANTE A BELEZA QUE NOS CERCA, ESQUECIDOS DE NOSSO PASSADO MILENAR, DESCUIDADOS FRENTE À NATUREZA QUE EMBEBEDA NOSSO OLHAR MORTAL E FUGIDÍO, TENTAMOS DENEGRIR NOSSO LAR PLANETÁRIO NOS ENVOLVENDO EM PEQUENAS GUERRILHAS DIÁRIAS COM OS QUE SE APROVEITAM DE CARGOS E SITUAÇÕES, COM OS QUE DESTROEM SONHOS, COM OS QUE SE APOSSAM DE NOSSA CIDADE COMO FEUDO PARTICULAR, COM OS QUE NOS RETALHAM E NOS PERSEGUEM SE ACHANDO ACIMA DA LEI, DO PODER, DA CONVIVENCIA SOCIAL.
TUDO ISSO PASSARÁ. IGUAPE É BEM MAIOR DO QUE MEIA DÚZIA DE PARASITAS. IGUAPE SEMPRE SOBREVIVEU AOS APROVEITADORES, DESDE O DISTANTE INDÍGENA QUE LEVAVA NOSSO PEIXE, AOS PIRATAS, AOS SENHORES DE ESCRAVOS, AOS CORONÉIS, A DECADÊNCIA, AOS CÔXOS, COTÓS, SANGUESSUGAS E BERNES. TODOS ÊLES PASSARAM E A ÚNICA COISA QUE PODEMOS AFIRMAR COM ABSOLUTA CERTEZA DAQUÊLES QUE DESFRUTARAM POR ALGÚM TEMPO DE NOSSA HOSPITALIDADE, NOS AMANDO OU NOS AGREDINDO, É QUE TODOS ÊLES FIZERAM COCÔ EM IGUAPE.

GASTÃO FERREIRA
www.gastaodesouzaferreira.blogspot.com

NO ESPELHO


NO ESPELHO

Andei por tantos caminhos,
tantos rumos já trilhei.
Trago a marca dos espinhos
no meu rosto. Hoje sei!

O branco no meu cabelo
quanta lágrima molhou!
Oh! Esse rosto no espelho
por tanta dor já passou!

Eu vejo um sonho morto
boiando no meu olhar.
Essa falta de conforto
de viver sem se notar...

Eu noto no meu sorriso
uma ponta de saudade,
igual menino indeciso
escondendo a verdade.

Mas se o espelho está certo
por certo eu também estou;
- Dentro de mim um deserto
foi tudo o que me restou...

GASTÃO FERREIRA/IGUAPE/2009

sexta-feira, 19 de junho de 2009

SOPRAR DO VENTO


SOPRAR DO VENTO

O MEU CAMINHO TRILHEI
ENTRE RISO E AMARGOR,
E TUDO AQUILO QUE SEI
VAI COMIGO ONDE EU FOR.

MEU TESOURO MINHA MENTE
ÁGUA PURA E CRISTALINA
UM MENINO INOCENTE
NO MEU PEITO CANTA AINDA.

VOU EMBORA DESTA TERRA
COMO TODOS HÃO DE IR...
VOU VIVER EM NOVA ESFERA
MAS VOCE! VAI ME SENTIR...

ASSIM AO SOPRAR DO VENTO
TARDE MANSA OU MADRUGADA
CONTIGO O MEU PENSAMENTO
SEGUE JUNTO PELA ESTRADA!

GASTÃO FERREIRA/IGUAPE/2009

quarta-feira, 17 de junho de 2009

O SORRISO DO MORTINHO


O SORRISO DO MORTINHO

OI AMIGÃO! TENHO UMA NOVIDADE PARA CONTAR, PAPAI ME LEVOU A UM VELÓRIO. MAIS UMA AULA DE APRENDIZADO E CIDADANIA. O MORTO ERA O SEU CAZÉ, UMA PESSOA MUITO QUERIDA E AMADA POR SEUS VIZINHOS, UMA ESPÉCIE DE SEGURANÇA DA RUA ONDE MORAVA. SABIA DE TUDO O QUE ACONTECIA, AS PEQUENAS E GRANDES DESAVENÇAS FAMILIARES, FURTOS E ASSALTOS NA MADRUGADA. QUEM NAMORAVA QUEM. O QUE SE COMIA E BEBIA. QUEM PULOU A CERCA. CERCA? NÃO SEI POR QUE? HOJE EM DIA AS CASAS TÊM MUROS, MAS TENHO CERTEZA QUE O POVO FALOU CERCA!
SEU CAZÉ MORAVA NOS FUNDOS DE UMA VELHA CASA E O VELÓRIO FOI POR LA MESMO. OS AMIGOS LEVARAM CAFÉ, BOLO, CERVEJA E FRANGO FRITO. ENQUANTO OS FAMILIARES DAVAM ADEUS AO DEFUNTO ENTRE GRITOS, DESMAIOS E CHORADEIRA, O PESSOAL CHAMADO “PAPA DEFUNTO” COMIA E BEBIA GRÁTIS E A VONTADE. UM VIZINHO QUE TOCA TROMBONE QUERIA HOMENAGEAR O PARTINTE COM SUA ARTE, NINGUÉM DEIXOU, O DEFUNTO GOSTAVA ERA DE RABÉCA E COMO FOI IMPOSSÍVEL ENCONTRAR UM TOCADOR DE TAL INSTRUMENTO FICAMOS OUVINDO MÚSICA POPULAR BRASILEIRA.
OS PARTICIPANTES DO “ÚLTIMO ADEUS” COMENTAVAM ENTRE SI QUE O DEFUNTO ESTAVA SORRINDO EM SEU CAIXÃO. MEU PAI NÃO QUIS QUE EU OLHASSE PARA NÃO FICAR IMPRESSIONADO. ENTÃO POR QUE ME LEVOU? LEVOU-ME POR QUE? COMEÇOU UM DIZ QUE DIZ SOBRE O SORRISO ZOMBETEIRO DO MORTINHO. UNS AFIRMAVAM QUE ELE SORRIA PORQUE NÃO DEIXOU HERDEIRO PARA TOMAR CONTA DA ESQUINA ONDE PASSAVA O DIA CUIDANDO DA VIDA ALHEIA. OUTROS COMENTAVAM QUE O SORRISO ERA DE VINGANÇA DEVIDO À NOVA LEI NA CIDADE PROIBINDO FICAR NA JANELA OBSERVANDO OS PASSANTES. SEI LA! ACHEI QUE O SORRISO ERA DE ESPANTO POR TANTA GENTE ESTAR PARTICIPANDO DO EVENTO, TIPO:- ESTOU MORTO, MAS FELIZ! QUE SE DANEM! VOCÊS PERDERAM UM GUARDIÃO GRÁTIS DA MORAL ALHEIA! RARARARA.
CONFESSO QUE NÃO APRENDI MUITA COISA. OS PARENTES CHORAVAM E APROVEITARAM A OCASIÃO PARA ABRAÇAR TODO O MUNDO, DANDO UM ÓSCULO DE AGRADECIMENTO EM CADA PARTICIPANTE. MEU PAI NÃO DEIXOU QUE ME OSCULASSEM E DISSE:- FILHO! ÓSCULO É NA FACE. SELINHO NÃO É ÓSCULO. É SACANAGEM!
UM PADRE ENCOMENDOU A ALMA QUE PARTIA. UM PASTOR FEZ UMA LONGA ORAÇÃO E UM PAI DE SANTO, UM DESPACHO NA ENCRUZILHADA PRÓXIMA, AFIRMANDO QUE COM TAL PRÁTICA O MORTINHO ESQUECERIA SUA ADORADA ESQUINA E SEGUIRIA PARA O ALÉM A FIM DE JUNTAR-SE A SEUS IGUAIS.
O FÉRETRO FOI ACOMPANHADO A PÉ. OS CATÓLICOS CANTAVAM “COM MINHA MÃE ESTAREI”, OS CRENTES “SEGURA NA MÃO DE DEUS” E OS DO FINAL DO CORTEJO “SAUDOSA MALOCA” E “AÍ QUE SAUDADES DA AMÉLIA”.
ESSE FOI O PRIMEIRO ENTERRO DO QUAL PARTICIPEI E ESTOU RELATANDO OS FATOS PARA QUE VOCE NÃO ENTRE EM FRIA. SONHEI COM O SORRISO DO MORTINHO, QUE NA VERDADE NEM VI. SERÁ QUE ELE VIROU ASSOMBRAÇÃO?
UM ABRAÇO DO AMIGO DUDÚ.


GASTÃO FERREIRA/IGUAPE/2009
WWW.gastaodesouzaferreira.blogspot.com

terça-feira, 9 de junho de 2009

MANDANDO EMBORA


MANDANDO EMBORA

UM ALGUÉM QUE FOI EMBORA
LEVOU TODO O MEU CARINHO
NUM AMOR JOGADO FORA
PELAS BEIRAS DO CAMINHO...

O AMOR SEM COMPROMISSO
SE TRANCOU FEITO PRISÃO...
NO MEU RISO DEU SUMISSO
NO MEU PEITO FÊZ CANÇÃO!

AÍNDA VAI CHEGAR A HORA
DE ESQUECER TANTA MALDADE
DESSE AMOR QUE RI E CHORA
TRISTEZA QUE A ALMA INVADE!

CONTAREI AS MINHAS MÁGOAS
AO RIO QUE CANTANDO PASSA...
QUE ELE LEVE EM SUAS ÁGUAS
A DOR QUE MEU PEITO AMASSA

QUANDO O RIO VIRAR MAR
JÁ BEM LONGE DA CIDADE
HEI DE PARAR DE CHORAR:
- ELE AFOGOU A SAUDADE!


GASTÃO FERREIRA/2009

TANTAS SAUDADES


TANTAS SAUDADES

CADA UM DE NÓS
SEGUE PELA ESTRADA
CAMINHANDO A SÓS
EM LONGA JORNADA!

ALGUNS VÃO SOZINHOS
OUTRO ACOMPANHADO
UNS DE VAGARZINHO
OUTROS APRESSADOS...

MAS NO FIM DE TUDO
O QUÊ VAI FICAR?
UM SORRISO MUDO
UM PERDIDO OLHAR!

FICARÃO LEMBRANÇAS
ISSO É BEM VERDADE...
POUCAS ESPERANÇAS
E TANTAS SAUDADES!

GASTÃO FERREIRA/2009