terça-feira, 9 de dezembro de 2008

VONTADE DE AMAR


VONTADE DE AMAR

Ah esse desejo que me queima...
Esse pecado presente toda hora,
Uma angústia, incerteza, teima...
Possuir, desvendar o mundo agora

Eu queria ser uma pedra de rua...
Um grande navio. Um deserto, porto
Um cão no cio uivando a lua...
Homem comum. Homem sem rosto!

Ah esse desejo que atordoa
Esse chamar que vem da rua
Que agride, cerca, que magoa
E eu desconheço a forma sua.

Ah esses olhos que me cegam
Essa provocação solta no ar...
Desejos loucos que me chegam
Essa fome incontida de amar...

GASTÃO FERREIRA/IGUAPE/SP

Nenhum comentário: