segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

SONHOS



SONHOS

Eu ergui tantos castelos
Na minha vida vadia...
Os meus amores são elos
Dessa corrente vazia...

Fui feliz de modo vário.
Minha maneira de ser,
Sou como gota de orvalho
Após o dia nascer...

Canto o sonho e incerteza
Segundo o meu coração...
Vou seguindo a correnteza
Nesta barca... Solidão!

E assim são tantos os sonhos
Que plantei num rude chão.
Colho os frutos hoje suponho
No meu pomar de ilusão...

GASTÃO FERREIRA/IGUAPE/SP

Nenhum comentário: