terça-feira, 9 de dezembro de 2008

SOLIDÃO


SOLIDÃO

Quando meus sonhos se foram
Tranquei-me dentro de mim...
Todas as lágrimas secaram
Era o princípio do fim...

Depois fechei as janelas
Cobri meu mundo de véus
Me esqueci das caravelas
Destruí todos os céus...

Depois no meio da noite
Soluço amargo se ouviu
Igual ao som de um açoite
Como silêncio no frio...

Então eu fechei a porta
Me transformei em prisão
Pois minha luz era morta
Dentro de mim... Solidão!

GASTÃO FERREIRA/IGUAPE/SP

Nenhum comentário: