quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

MENINO MADRUGADA


AQUELE MENINO
TÃO VALENTE
TÃO FRANZINO...

QUEBRAVA VIDRAÇA
JOGAVA UMA BOLA
FAZIA PIRRAÇA...

APENAS CRIANÇA
PROVANDO O MUNDO
COM DESCONFIANÇA...

MAU NÃO ERA...
UMA SEMENTE
SÓ NA ESPERA...

NA ESPERA DO PÃO
NA ESPERA DO PAI
NA ESPERA DO CHÃO

NA ESPERA DO DIA
NA ESPERA CONFORTO
VIVER? QUE AGONÍA...

MAS O QUE ELE VIA
DE SUA JANELA
JAMAIS ENTENDÍA...

POLÍCIA CORRENDO
MENDÍGO NA RUA
O POVO SOFRENDO...

E O MUNDO GIRANDO
NEM BOM NEM RUIM
SOMENTE PASSANDO

NÃO VAI A ESCOLA...
NINGUÉM A COBRAR
A VÊZ É DA COLA...

DEPOIS É DA RUA...
MENINO APRENDÍZ
MENINO SEM LUA

PERDEU SUA ALMA
A SUA INOCÊNCIA...
AGORA SEM CALMA

FUGIR E FUGIR
ROUBAR E VENDER
VENDER E MENTIR...

A BALA PERDIDA
MAS COM DIREÇÃO
TIROU SUA VIDA...

A VIDA TÃO POUCA
TÃO POUCO DUROU
A VIDA TÃO LOUCA...

FOI SÓ UM SEGUNDO
UM GRITO NO TEMPO
NO TEMPO DO MUNDO

FOI COISA PERDIDA
LARGADA DEIXADA
A VIDA VIVÍDA...

FOI SÓ UM MENINO
QUERENDO APRENDER
PROVAR DO DESTINO

FOI UMA CRIANÇA
QUE NUNCA CRESCEU...
FOI SÓ ESPERANÇA

NÃO AMANHECEU...
FOI SÓ MADRUGADA
MAS COMO DOEU!


GASTÃO FERREIRA/IGUAPE/SP

Nenhum comentário: