terça-feira, 9 de dezembro de 2008

FOME DE AMAR


FOME DE AMAR

Meu grito cresce no grito
Acorda a noite vadia
Fantasma de meu conflito
Ronda na rua vazia

Esses sussurros e beijos
Que deságuam no futuro
São torrentes de desejos
Brotam nos rios do escuro

Nesses amores tão breves
Navegam quem bem quiser
Saudades choram de leves
Mágoa de quem não nos quer

E a noite esconde meu canto
Grito profano de ardor
Encobre num mesmo manto
Engano!...Fome de amor!

GASTÃO FERREIRA/IGUAPE/SP

Nenhum comentário: