segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

DEUS


DEUS

Da fogueira das maldades
Joguei pedras no Teu céu.
Afoguei-me nas vaidades
Sorvi a taça de fel...

Depois cansado de tudo
Ergui-me da escuridão.
Andrajoso triste e mudo
Eu Te implorava perdão.

Procurei-te por mil vidas
Morrendo todos os dias
Acariciando as feridas
Enquanto o tempo fugia.

Percorrendo os caminhos
Buscando Te compreender
Eu retirei os espinhos
Que me faziam sofrer

Então notei extasiado
Teu anjo que me dizia;
Estive sempre a teu lado
Era você que não via...

GASTÃO FERREIRA/IGUAPE/SP

Nenhum comentário: