terça-feira, 9 de dezembro de 2008

DESESPÊRO


DESESPÊRO

O filho que não fiz
Chama por mim...
O pecado que não cometi
Grita por mim...

Sou uma jaula
Uma pedra
Um poste!
Meu destino:
- A morte!

Em cada esquina
Em cada bar
Estou em casa:
- No meu lar!

GASTÃO FERREIRA/IGUAPE/SP

Nenhum comentário: