terça-feira, 9 de dezembro de 2008

BANAL


BANAL

João amava Maria
Com ciúme e paixão
A ela sempre dizia:
- Comigo! Sem traição

Maria é tão bonita
E gosta de variar
A paquera não evita
Basta um riso, um olhar

E Pedro caiu de amores
Por essa moça faceira
E João ouviu os rumores
Em sua imensa cegueira

Sina de Pedro o desejo.
Sua vida foi coisa à toa
A vida custou um beijo
Morreu na bala que voa

Maria ficou com João
O seu verdadeiro amor
Domingo assistem o Faustão
Na sua tevê a cor...

GASTÃO FERREIRA/IGUAPE/SP

Nenhum comentário: