terça-feira, 9 de dezembro de 2008

AUSENTE


AUSENTE

Vejo-te na tarde
Que vem tangendo
À noite...
Ave vadia. De grandes
E dolorosas garras...

Voa... Alem do horizonte
Retém... A fugidia hora
Do meu nunca...
O meu sempre
É ausente de amanhãs
E teu vulto desencontrado
É um espelho partido
Insinuando teu rosto
Em estilhaços de cristais...
E o som de tua voz
É aura branda que
Acalma minha dor...

Ave vadia...
Meu desespero em versos!
Abre tuas asas de esquecimento
Sobre mim e voa!
Voa alem da vida. Alem do tempo
Em busca de uma tarde
Que nunca existiu
A não ser em mim
E no sonho.

GASTÃO FERREIRA/IGUAPE/SP

Nenhum comentário: