sábado, 27 de dezembro de 2008

BOM AMIGO


BOM AMIGO

QUANDO A DOR AGRIDE
QUANDO O CHORO VEM
QUANDO A MORTE INCIDE
NÃO PERGUNTA A QUEM?

POIS TUDO É IGUAL
SEJA TOLO OU NOBRE
É O MESMO FINAL
PARA O RICO E O POBRE

TODOS VÃO FEDER...
TODOS IRÃO SÓ
TODOS VÃO MORRER
TUDO SERÁ PÓ!

NÃO PLANTE ESPINHOS
SERÁ TEU ABRIGO...
APLAINE OS CAMINHOS
SEJA UM BOM AMIGO...


GASTÃO FERREIRA/IGUAPE/SP

quinta-feira, 25 de dezembro de 2008

PRAÇA DA MATRÍZ


PRAÇA DA MATRÍZ/IGUAPE

Pela praça passam todos
O turista e o morador...
Passa o diabo fantasiado
Passa Cristo em seu andor

Pela praça passa o pobre
Passa o rico e o pescador
Passa vento passa chuva,
Passa o santo e o pecador

Passa a saudade lembrando
Dos que ali já passaram...
Passa fantasma esquecido
De amores que naufragaram

Passa o riso e a incerteza
Passa o padre e o pastor.
Passa a feiúra e a beleza
Passa o mudo e o cantor.

Te amo Iguape querida...
Entre o choro e o sorrir
Jamais serás esquecida
Enquanto vida eu sentir

Te amo minha cidade
Com amor puro e valente
Aqui a felicidade...
Afaga a alma da gente...

GASTÃO FERREIRA/IGUAPE/SP

terça-feira, 23 de dezembro de 2008

BALA PERDIDA


BALA PERDIDA

Eu sigo seus passos
Seus gritos canções
Nas ruas vazias...
Em becos e prisões.

E vejo seus rostos
Nos rostos dos pais
E noto o desgosto
Sorrisos?...Jamais!

Eu ouço o silêncio
Chamando seus nomes
Soluços de vozes...
Saudade!...É uma fome.

E lembro seus risos
E nunca os punhais
Que estão estampados
Em tantos jornais...

Apenas crianças
Tentando aprender
Feridas em sonhos
Querendo viver...

A bala perdida
A morte buscada
Sedentos de vida
Jamais encontrada!

GASTÃO FERREIRA/IGUAPE/SP

UM OLHAR


UM OLHAR

Que vêem meus olhos no espelho?
... A imagem tão antiga, sempre eu.
Que diz? – Qual será o seu conselho
Aquele que desde sempre conheceu!

Cada ruga uma lembrança, uma cilada
Que a vida armou e o tempo cometeu,
São as marcas de tantas caminhadas...
Das punhaladas que do mundo recebeu

São névoas hoje suspensas na memória
Um sorriso...uma dor...algum lugar...
Um livro... um alguém... restos, história

Que guardei para um dia relembrar...
Uma vida passando em minha glória
É o que vê o espelho em meu olhar...

GASTÃO FERREIRA/IGUAPE/SP

FANTASMA


FANTASMA

O teu fantasma
Sem nome
Chegou-se
Tão sorrateiro
Com seu sorriso
De fome
Com suas garras
De gelo...

Se apoderou
Do meu sonho
Abriu
O meu coração,
Expondo à dor
Minha alma
Ludibriando
A razão...

Depois partiu
Zombeteiro...
Deixando
Em meu pensamento
Uma incerteza
Esperando
Uma tristeza
Sem jeito...
Um grito
Preso na noite
Uma saudade
Em meu peito.

GASTÃO FERREIRA/IGUAPE/SP

ALGEMAS


ALGEMAS



NÃO RECLAME DAS ALGEMAS
CORRENTES DE SOLIDÃO...
ALMA FAMÍNTA QUE GEME
EM MEIO A INCOMPREENSÃO!


DEUS MOLDOU ESTAS ALGEMAS
COM A LAMA DESTE CHÃO...
NÃO SÃO DE BARRO! SÃO GEMAS
FIM DE TUA ESCRAVIDÃO...


QUEM TE DEU CONHECIMENTO
PÔZ FÉ NO TEU CORAÇÃO...
DEU-TE TAMBÉM SENTIMENTO
CLARA LUZ NA ESCURIDÃO...


NESTAS ALGEMAS GRAVADAS
POR TUA PRÓPRIA RAZÃO
EM CADA ELO ENGASTADO
HÁ UM PEDIDO DE PERDÃO!



GASTÃO FERREIRA/IGUAPE/SP

UM DIPLOMA AO PRESIDENTE


UM DIPLOMA AO PRESIDENTE

NA VETUSTA CIDADE O DESCASO ERA GERAL. LIXO NAS CALÇADAS, RATOS E GATOS NAS RUAS, CÃES SARNENTOS IMPLORANDO UM PEDAÇO DE CHURRASQUINHO. MENININHOS DETONANDO TELEFONES PÚBLICOS E MENINÕES DETONANDO MENINÕES. MENININHAS BOAS REZANDO E MENININHAS MÁS PERAMBULANDO PELAS MADRUGADAS, ENCHENDO A CARA EM BARES E CLUBES, OU SEJA, APROVEITANDO A VIDA INOCENTEMENTE.
OS MENDÍGOS, PROPRIETÁRIOS OFICIAIS DAS PRAÇAS, COBRAVAM PEDÁGIO AOS VISITANTES CANSADOS QUE QUERIAM SENTAR NOS LÍMPIDOS E INTACTOS BANCOS, ALEGANDO QUE A GRANA ERA PARA COMPRAR PÃO. CRIANÇAS CARENTES PEDIAM UM “REAU” PARA COMPRAREM PÃO. BÊBADOS PEDIAM UM “REAU” PARA COMPRAREM PÃO. TURISTAS PEDIAM CAFÉ COM PÃO E TODAS AS PADARIAS RECLAMAVAM QUE QUASE NÃO VENDIAM PÃO. (PÃO?).
TODO O MUNDO BRIGAVA COM TODO O MUNDO E TODOS FALAVAM MAL DE TODOS. OS CUIDANTES DA VIDA ALHEIA NÃO APENAS CUIDAVAM COMO ANOTAVAM LOCAL E HORA A FIM DE CONFIRMAREM COM OUTROS CUIDANTES SE SEUS CUIDADOS ERAM CUIDADOSOS.
NINGUÉM CONSEGUIA LEVAR A VIDA NUMA BOA, A SOLUÇÃO FOI AMARRAR UMA CORDINHA NA TAL VIDA E IR PUXANDO LENTAMENTE E SEM TRÁUMAS. QUEM AÍNDA POSSUIA DINHEIRO DIRIGIA-SE A UMA CIDADE PRÓXIMA PARA FAZER VULTOSAS COMPRAS E ASSIM, NA VETUSTA, POUCOS SABIAM QUEM REALMENTE TINHA GRANA. OS MUITO RICOS AGIAM DESSA FORMA POR MEDO DE ASSALTO, OU DE ASSÉDIO PARA PAGAMENTO DE ÁGUA E LUZ EM ATRASO.
O POVO ESTAVA INADIMPLENTE. CARTAS DE COBRANÇA AMIGÁVEL ERAM ENTREGUES PESSOALMENTE COM AMEAÇAS TENEBROSAS DITAS NA CARA DO DEVEDOR E SEM PROVAS:- HOJE É AMIGÁVEL! AMANHÃ?...TE CUIDA!É NA JUSTIÇA. E SEGUIA-SE O FAMOSO GESTO DOS PISTOLEIROS DO VELHO OESTE AMERICANO. PARA QUEM TENTAVA RENEGOCIAR AS VELHAS DÍVIDAS ERA PIOR:- DEVIA R$1.000,00 E NÃO TENHO COMO PAGAR! COMO PODEREI DISPOR DE R$5.000,00 COM OS JUROS, CORREÇÕES, ADVOGADOS, TAXAS E SOBRE TAXAS EMBUTIDAS NAS CONTAS? TÔ NEM AI! SE VIRA! VENDE A DROGA DA CASA, O CACHORRO, UM FILHO, A P.Q.P., MAS PAGA HEM! O HOMEM VEM AÍ DE NOVO! RÁRÁRÁ... NÃO PEDIU? DÊ A VOLTA PARA O FUTURO... OTÁRIO!
AS MELHORES MENTES, AQUELAS QUE FORAM ESCOLHIDAS A DEDO PARA AUXILIAREM OS MUNÍCIPES EM SUAS NECESSIDADES FORAM ALERTADAS. ELAS, AS MENTES É CLARO, PERTENCENTES À ELÍTE INTELECTUAL, DE MORAL ILIBADA, HONRADÊZ TESTADA E APROVADA, HUMILDADE RECONHECIDA ATÉ PELO BISPO, DIGNOS SERVIDORES DO BEM COMUM, AMADOS E DEFENDIDOS ATÉ MESMO POR FERRENHOS DESAFETOS, RESOLVERAM APÓS CONSULTAS ($) E MAIS CONSULTAS ($$$), INTERVIR:- A SOLUÇÃO É DAR UM DIPLOMA DE CIDADÃO AO PRESIDENTE!
O POVO BABOU... O DINHEIRO APARECEU E O FATO OCORREU. PARA CONFECCIONAR O TÍTULO A SER OFERTADO AO PRESIDENTE, CONTRATARAM UM FAMOSO PINTOR, PAI DE SANTO, CARNAVALESCO E SAPATEIRO LOCAL, CUJOS DIPLOMAS PERFEITOS, DIGA-SE DE PASSAGEM, (OU NÃO!), QUASE ENFEITARAM O VATICANO. (POIS NÃO É QUE TENTARAM DAR UM DIPLOMA AO PAPA!).
UM ARTESÃO CONHECIDÍSSIMO, MUITO PREMIADO POR SUAS ESCULTURAS EM BARRO, EXECUTOU COM ESMERADA EXATIDÃO A FIGURA DO FIGURÃO COM O SIMBOLO DA CIDADE:- TRÊS TORRES E UM BOLINHO DE RODA!
A TERCEIRA IDADE FOI DISPENSADA DO EVENTO, TEVE CHORRO E RANGER DE DENTADURAS, MAS AS MENINAS DA MELHOR IDADE ERAM EM NÚMERO INSUFICIENTE PARA FORMAREM UM CORAL. OS PEDINTES CANTANTES, MORADORES EVENTUAIS DA PRAÇA DA MATRÍZ FORAM CONTRATADOS E BEM PAGOS (CINCO GARRAFAS DE 51). APRESENTARAM MÚSICAS ANTIGAS E FAMOSAS:-” BEBO SIM E ESTOU VIVENDO, TEM GENTE QUE NÃO BEBE E ESTÁ MORRENDO”, “ TORNEI-ME UM ÉBRIO E NA BEBIDA BUSCO ESQUECER...”, E PARA FECHAR O SHOW, “A MARVADA PINGA”.
OS CARNAVALESCOS ENFEITARAM A CIDADE. AQUELE BLOCO QUE SEMPRE ATRASA? ATRASOU E OS BEM PAGOS REPRESENTANTES DO POVO COM SEUS INÚMEROS CONVIDADOS (NÉPOS, NÉPINHOS E NEPÕES) COMERAM DO BOM E DO MELHOR, PROTEGIDOS DA GENTALHA QUE OS COLOCARAM EM SEUS ELEVADOS POSTOS, SOB UMA TENDA ARMADA ESPECIALMENTE PARA O FARAÔNICO EVENTO. JÁ O POVÃO E SEUS FILHOS FICARAM DEBAIXO DE SOL, PARA PEGAR UMA COR E APRENDER A NÃO RECLAMAREM DA VIDA E DOS QUE OS AMAM DE VERDADE VERDADEIRA.COM MUITA GENTILEZA FORAM AGRACIADOS COM ALGUNS ESPETINHOS DE GATO, JOGADOS DE DENTRO DA LUXUOSA TENDA PELOS EDUCADOS PARTICIPANTES DO RÉGA BÓFE.
O HOMENAGEADO, JÁ MEIO TORRADO DE TANTA BEBIDA, ABRIU O BELO E CARÍSSIMO DIPLOMA E FALOU:- HIC... HIC... EU HEIM! E FOI MUITO APLAUDIDO.
O MANDATÁRIO DA VETUSTA CIDADE FEZ UM LONGO DISCURSO ENALTECENDO SUAS NUMEROSAS E INCRÍVEIS BENFEITORIAS E APÓS BAIXAR O SARRAFO NOS ADVERSÁRIOS E DESAFETOS, CONCLUIU:- NESSE MÊS HOMENAGEAMOS O PRESIDENTE DA BRAHMA, MÊS QUE VEM SERÁ O DA SKOL... AO SUCESSO!...HIC... HIC...


GASTÃO FERREIRA/IGUAPE/SP
gastaodesouzaferreira.blogspot.com

O HOMEM E A BORBOLETA


O HOMEM E A BORBOLETA

A LARVA JAMAIS NOTARA O AZUL DO CÉU, O CANTO DOS PÁSSAROS, NÃO OUVIA A MÚSICA LONGÍNQUA DA CASCATA NEM O CONSTANTE MURMÚRIO DO VENTO. SEU MUNDO ERA FEITO DE ESCURIDÃO E FOME... MUITA FOME.
O HOMEM OLHOU A MONTANHA. CONHECIA CADA TONALIDADE DO VERDE ALI EXPOSTO. NASCERA NAQUELE VALE. ALI VIVEU TODA A SUA EXISTÊNCIA. AMOU E SOFREU, PARTILHOU SONHOS E LUTAS, ENCANTOS E DESENCANTOS. ERA UM HOMEM, A VÓZ DA VIDA, O SER MAIS INTELIGENTE DO PLANETA. TINHA CONSCIÊNCIA DE QUE SUA LONGA VIDA CHEGAVA AO FIM. FOI FELÍZ? NÃO SABÍA! O QUE APRENDEU? POUCO PERANTE A GRANDEZA DO UNIVERSO. AGORA TEMEROSO, AGUARDAVA...
A LARVA TRANSFORMAVA-SE EM CASULO. ALGO ESTAVA OCORRENDO... NÃO TINHA IDÉIA. SUA BREVE EXISTÊNCIA FÔRA APENAS FOME. SEU CORPO DISFORME PEDIA POR MUDANÇAS. UMA CROSTA SEDOSA A ENVOLVIA CONVIDANDO AO REPOUSO. TUDO ERA ESCURIDÃO. MORRIA?
O HOMEM SENTIU A DOR LANCINANTE NO PEITO. LEVOU A MÃO AO CORAÇÃO. TUDO ERA ESCURIDÃO!... MORRIA?
O CASULO ROMPEU-SE. A BELÍSSIMA BORBOLETA DISTENDEU AS ASAS. TONTA DE LUZ RENASCIA PARA A VIDA. UMA VIDA QUE DESCONHECIA... PLENA DE VENTOS, PERFUMES, SOL... TUDO EXISTIA.
O HOMEM ABRIU OS OLHOS. O MUNDO ERA O MESMO. SUA MONTANHA ESTAVA ALI. NOTOU O VELHO CAÍDO A SEUS PÉS E PENSOU:- MEU CASULO! SOU EU! COMO MUDEI! SOU JOVEM, SOU FORTE, SOU BELO... ESTOU VIVO!
A BORBOLETA VIAJAVA NA TARDE MANSA, BEBADA DE LUZ. O HOMEM OBSERVOU:- SOU IGUAL A ELA E NÃO SABÍA! TRANSFORMEI-ME E RENASCI. SORRINDO ELEVOU-SE DO CHÃO E PARTIU AO ENCONTRO DA ETERNIDADE.


GASTÃO FERREIRA/IGUAPE/SP
gastaodesouzaferreira.blogspot.com

PASSARINHO


PASSARINHO

Quando eu era uma vez um passarinho
Vagava por varandas e quintais
Tinha o mundo inteiro por meu ninho
E pensava ser livre... E nada mais

Podia ir de Iguape a Pariquéra
Ir onde o meu sonho me levar
Esconder-me na mata entre feras
E ter o céu só prá mim para voar.

Entre idas e vindas fui ousado
E em tua janela fui pousar...
E encontrei o amor tão esperado
E me perdi de mim, do azul, do mar

Eu que tinha o céu por companheiro
E entre nuvens planava sem pensar
Agora sou escravo e prisioneiro
Um cativo feliz do teu olhar...

GASTÃO FERREIRA/IGUAPE/SP

O MENINO REI


MENINO REI


O BICHO HOMEM É UM BICHO ESTRANHO, DANADO DE COMPLICADO. QUANDO FILHOTE É UM SER ESPECIAL. ALEGRE, RISONHO, CARINHOSO, CONFIANTE, DE
UMA TERNURA SEM LIMITE PARA COM TUDO E COM TODOS. NOTEM VOCÊS QUE TODO O
MENINO SEJA QUAL FOR SUA SITUAÇÃO FINANCEIRA PENSA QUE É UM REI. CRIA MUNDOS,
MONSTROS, HERÓIS, REINOS, POVOA O ESPAÇO E VOA NAS ASAS DA IMAGINAÇÃO. É FELÍZ NA SUA SIMPLICIDADE E HONESTO COM SEUS SENTIMENTOS.
ESSA FASE DURA APROXIMADAMENTE ATÉ OS SEIS, SETE ANOS. NESSA IDADE COMEÇA A DESBRAVAR O MUNDO. VAI PARA A ESCOLA APRENDER A LER, ESCREVER E A SER GENTE ESTUDADA.
COMEÇA A MUDANÇA. EXIGE DINHEIRO PARA O LANCHE APESAR DA MERENDA ESCOLAR. QUER MESADA, ROUPAS DE MARCA, E, SEM APRENDER COM NINGUÉM VIRA UM CHANTAGISTA NATO. GRITA, ESPERNEIA, FALA PALAVRÕES, DESTRATA OS MAIS VELHOS, BATE NOS COLEGAS, CACHORROS E GATOS. ALGUNS CONSEGUEM FAZER TUDO ISSO COM MEMBROS DA PRÓPRIA FAMÍLIA.
ESSA FASE MUDA AOS DOZE, TREZE ANOS. AH SIM! JÁ ESTÁ COMEÇANDO A QUERER SER ADULTO. ESSE PERÍODO É CHAMADO DE ABORESCÊNCIA, POIS CHATEIA ATÉ TELEFONE PÚBLICO. SABEM DE TUDO, VIVEM EM TRIBOS COM MIL NOMES, ROUPAS E LINGUAJAR DIFERENCIADO. AFASTAM-SE DOS ADULTOS COMO SE FOSSEM INIMIGOS E DISTANCIAM-SE DAS CRIANÇAS COMO SE ELAS TIVESSEM PESTE.
AOS DEZOITO ANOS MUDA RADICALMENTE. COMEÇA A FALAR UM IDIOMA COMPREENSÍVEL. QUER SER UM RAPÁZ RESPONSÁVEL EM BUSCA DE OPORTUNIDADES E TRABALHO. DESCOBRE QUE AQUELES DOIS ESTRANHOS LÁ DE CASA, QUE SE MATAM DE TRABALHAR PARA QUE ELE TENHA DO BOM E DO MELHOR, SE CHAMAM PAI E MÃE, E, QUE FICARAM DE CABELOS BRANCOS DE TANTO SE PREOCUPAREM COM ELE. ENTÃO, COMEÇA A PERCEBER A REALIDADE E TENTA ADAPTAR-SE A ELA.
NORMALMENTE O BICHO HOMEM TEM UM PERÍODO DE VIDA DE SETENTA E CINCO ANOS. ISSO QUANDO MATÉM HÁBITOS SAUDÁVEIS DE ALIMENTAÇÃO, ATIVIDADES FÍSICAS E SONO PLENO. QUANDO PARTE PARA OUTROS EXPERIMENTOS COM DROGAS, BEBIDAS, NOITES E NOITES NA ESBÓRNIA, O TEMPO DE VIDA DIMINUI. ALGUNS ENCONTRAM UMA BALA PERDIDA, OUTROS UM BURACO NA ESTRADA E OUTROS UMA CÃIMBRA NO MEIO DO RIO. AÍ O PERÍODO JÁ ERA, É O FIM DA PICADA.
OS POUCOS QUE DOBRAM A CURVA DO RIO E CHEGAM AOS ENTAS (QUARENTA, SESSENTA...), VÊZ POR OUTRA LEMBRAM COM SAUDADES DO MENINO REI, AQUELE QUE FICOU NO PASSADO, DE SORRISO FÁCIL E VERDADEIRO, PUREZA DE CORAÇÃO, ALEGRIA ESPONTÂNEA E FELÍZ.
RECORDAM QUE A VIDA PASSOU, ABRIU SUAS COMPORTAS E ALAGOU O MUNDO INFANTIL COM BOAS E MÁS EXPERIÊNCIAS. BATEU, ACARICIOU, MALTRATOU, EXALTOU E DESTRUIU. POIS QUANDO O MENINO ADORMECEU, A VIDA O TRANSFORMOU EM DOUTOR, FUNCIONÁRIO PÚBLICO, PESCADOR, PEDREIRO, PREFESSOR, COMERCIANTE, MÉDICO, MENDÍGO OU EM MILHARES DE DENOMINATIVOS.
ACORDAM ESTRESSADOS, INFELÍZES E DESENCONTRADOS, SEM NOTAR QUE LÁ DENTRO, BEM LÁ NO FUNDO, MORANDO EM SEU PROPRIO CORAÇÃO, JÁZ ADORMECIDO O MENINO QUE SONHAVA SER REI E QUE PODERIA MUDAR O MUNDO PARA MELHOR
SERÁ QUE NÃO É HORA DE ACORDAR ESSE DORMINHOCO E POR O LEME DA VIDA EM SUAS MÃOS. QUEM SABE SUA SIMPLICIDADE, PUREZA E AMOR, TORNARÃO MAIS LEVE TODOS OS FUTUROS PASSOS, JÁ QUE ELE CONHECIA O SEGRÊDO DO BEM VIVER, E, QUE QUANDO VOCE O ADORMECEU, VOCE ESQUECEU QUE O QUE REALMENTE IMPORTA É SER FELÍZ.


GASTÃO FERREIRA/IGUAPE/SP
gastaodesouzaferreira.blogspot.com

SER FELÍZ


SER FELÍZ

SER FELÍZ É TER DINHEIRO?
SER O CHEFE! O TIMONEIRO
SER DE TUDO O MANDÃO?

SER FELÍZ É VER O SOL
NASCENDO NO HORIZONTE
ESPALHANDO A LUZ DO DIA
A ONDE QUER QUE REPONTE

SER FELÍZ É LER UM LIVRO
CONTANDO TÃO BELA HISTÓRIA
QUE DESPERTA NOVOS SONHOS
QUE VÃO VIVER NA MEMÓRIA...

SER FELÍZ É TER AMIGOS
CAMINHANDO LADO A LADO
ALGUNS SORRINDO CONTENTES
OUTROS SEGUINDO CALADOS...

SER FELÍZ É TER FAMÍLIA
FILHOS DOANDO CARINHO
É REPARTIR SEU CALOR
PARA TODOS NO CAMINHO

SER FELÍZ É SENTIMENTO?
É ESCOLHA? É PROCURA
POR VIDA? POR AVENTURA?

SER FELÍZ TODOS QUEREMOS!
E CADA UM AO SEU JEITO
PROCURA A FELICIDADE
PARA DEITAR NO SEU LEITO...

SER FELÍZ É O DESTINO
DE QUEM ACREDITA EM DEUS
DE QUEM VE NO SEMELHANTE
OS MESMOS DIREITOS SEUS...

SER FELÍZ É UM EXERCÍCIO
DE PACIÊNCIA E DE SUOR.
SER FELÍZ É IR VIVENDO
SEMPRE BUSCANDO O MELHOR

SER FELÍZ É EXISTIR...
APRENDER E PARTILHAR
SEM MEDO E SEM LAMENTO:
- SER FELIZ! É SE GOSTAR...

MÃOS DE PINTORA



MÃOS DE PINTORA - Cleide


Das minhas mãos
Brotam sonhos
Flores... Cristais


Eternizo na tela
Os meus ais
Meus punhais...


Minhas mãos
Mãos do mundo
Meu olhar...


Domino a criação:
- Meu coração...
Minhas mãos!



GASTÃO FERREIRA/IGUAPE/SP

quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

SEJA UMA ESTRÊLA


SEJA UMA ESTRÊLA

SÃO TANTAS SOMBRAS
QUE ME SEGUEM...
NESSE MEU LONGO
CAMINHAR,
ALGUMAS FLÔRES...
TANTAS DORES
PASSAM SORRINDO
AO MEU OLHAR.

VOU PELA ESTRADA
DESSA VIDA
COLHENDO OS FRUTOS
QUE PLANTEI...

SE TENHO ESPINHOS
QUE ME FEREM
REPLANTO AMOR
POR ONDE ERREI...

E SÓ ESPERO
QUE UM DIA,
EU SINTA A LUZ
BRILHAR EM MIM...
.
QUE A PEDRA BRUTA
DO COMEÇO...
SEJA UMA ESTRÊLA
NO MEU FIM...



GASTÃO FERREIRA/IGUAPE

terça-feira, 16 de dezembro de 2008

VAMOS BRINCAR NO CAMPINHO


VAMOS BRINCAR NO CAMPINHO


PEÇA PARA TEATRO INFANTÍL, ENFOCANDO OS BROBLEMAS COM A DENGUE,
RAIVA, LEPTOSPIRÓSE, LIXO, DESCUIDO COM A NATUREZA E A LIMPEZA DE LUGARES PÚBLICOS... APROVEITEM E ENCENEM A PEÇA... OBRIGADO

Ato I

(O rato descobre um lixão)

Rato: - Helloou! Helloou? Tem alguém aí?
- Puuxa! Que lugar bacana! Isso aqui é um paraíso!
- Tudo o que um rato faminto como eu mais quer...
- Pelo cheiro posso afirmar que vou encontrar comida...
- Sinto cheiro de pão... Mortadela... Salsicha... Macarrão... Rapa de arroz... Huuum!
- Estou no céu!
- Estou no céu!
- E tudo é meu... Só meu!

(Aparece um cachorro)

Cão: - E aí amigão? Descolando uma boquinha?
Rato: - Adeus paraíso! Adeus céu... Sempre tem que aparecer um bicão!
- Qual é cara? Se manca!
Cão: - Oh mano! Não se estressa cara... Lixão é pra todo mundo...
- To na captura de um osso... Encontrou algum?
Rato: - Qual é Mané? Isso aqui é do mundo! Se vira meu...
Cão: - To aflito cara! Peguei uma sarna danada
- To na rua... Sem casa... Sem comida
- No maior abandono...
Rato: - Cadê seu dono Mané?
Cão: - Me largou na rua, trancou o portão
- Me abandonou...
Rato: - Ainda bem que ninguém me quer...
- Todos me odeiam!
Cão: - Pô meu... Também... Você é maior praga...
- Chega detonando
- Faz cocô em todo lugar...
- Estraga a comida dos outros meu...
Rato: - É isso aí cara! Sou feliz assim...
- Eu sou um rato e tenho que agir como um rato... Ok?
- Deu moleza, to nessa!
- Cráu...
Cão: - Mas não pode...
-Tem que respeitar...
-Tem que ser educado.
Rato: - Papo furado...
- Educação!
- Valeu cara?
- Tai oh...
- Todo carente, morrendo de fome, abandonado...
- Fica esperto Mané!
- O bicho homem é complicado
- É cheio de nhenhenhém...
Cão: - Como assim parceiro?
Rato: - Olha pra você cara!
- Com rabugem... Com fome... Com sede...
- Garanto que você foi um lindo filhote?
Cão: - Fui sim!
- Não parece, mas fui...
- Uma belezinha... Todo mundo me queria...
- Dava a patinha, rolava no chão, buscava bola...
- Que tristeza! (chora)
- Nem gosto de lembrar...
- To morrendo de saudade da minha casinha... Do meu osso... Do meu dono... (chora)
Rato: - Que é isso amigo?
- Todo vai melhorar...
- Vou até procurar um osso bem gostoso para você...
Cão: - No começo, quando eu era um lindo filhote, só alegria...
- Fui crescendo, crescendo, e já não recebia atenção, carinho do meu dono...
Rato: - É isso aí!
Cão: - Fiquei sem tomar banho, peguei essa sarna...
- Pensei que meu dono ia cuidar de mim... Que nada...
- Abriu o portão e falou: ─ Se vira Zecão! A moleza acabou!...Bai... Bai...
Rato: - Chocante! Chocante demais!
Cão: - Pois é amigão!
- O bicho homem adota a gente quando somos pequenos...
- Cuida com amor, dá carinho, dá colo, comida, um lar...
- Mas qualquer dodói é só abandono... Me sinto desprestigiado...
Rato: - Você fala difícil hem!
Cão: - Aprendi com o bicho homem... Sei muita coisa...
Rato: - Eu aprendi com a vida...
- Sou esperto, sou cuidadoso, sou cheio de truques...
- Rato bobo vira lanche de gato...
Cão: - É mesmo?
Rato: - Claro cara!
- Fico só na moita, espiando uma casa...
- Se não tem um gato, é moleza.
- Sempre tem um esgoto, um telhado com defeito, um buraco na parede, uma fresta qualquer...
-E se consigo entrar, fico de dono do ambiente...
Cão: - Fácil... Fácil...
Rato: - É sim, amigo! Rato só vai onde tem comida e abrigo...
- Aquele pedaço de pão que caiu e ninguém catou... Aquele restinho de comida jogada no quintal... Um armário mal fechado... Uma lata aberta...
- Uma sobra qualquer e lá estou eu, na maior festa... Crau!
Cão: - Pô cara!
- Você é fatal!
Rato: - Meu problema é a limpeza!
- Local asseado, bem ventilado, sem sobra de nada... Pra mim é um inferno.
- Não arrumo nem para um lanchinho...
- Meu negócio só prospera na sujeira...
Cão: - Então é bem difícil de arrumar comida?
Rato: - Nada meu... Facim... Facim...
- Todo mundo é meio porção...
- Viva a sujeira! Viva o lixo! Viva! Viva!
Cão: - Esse lugar aqui ta meio abandonado, meio esquecido...
Rato: - Qualé, Mané? Quer acabar com a minha festa?
- Todo lugar tem que ter sujeira, montão de sujeira, milhão de sujeira...
Cão: - Sujeira traz doenças...
Rato: - E daí? Sujeira traz doença, mas também traz dinheiro para o bicho homem...
Cão: - Não diz isso, irmão!
Rato: - Cara! Quanto mais sujeira mais doença, quanto mais doença mais remédio, quanto mais remédio mais dindim...
Cão: - Saúde é fundamental...
- Só com saúde se vive alegre.
- Se eu tivesse saúde, todos me tratariam bem... Talvez até me adotassem!
- Me fariam carinho, me dariam comida, um bom banho...
Rato: - Ta a fim de acabar com a minha alegria?
- Que banho coisa nenhuma!
Cão: - Banho é gostoso...
Rato: - Que ódio! Que ódio!
Cão: - Um bom banho diário evita tanta doença: micose, caspa, unheira, remela, assadura... Até rabugem, que eu peguei...
Rato: - Pára!...Vou ter pesadelo.
- Xô, limpeza... Xô!
Cão: - Eu gosto de um bom banho... Ficar limpinho... Ficar cheirosinho...
Rato: - Hein! Olha quem vem chegando!
Cão: - Não conheço...
Rato: - O Aedes Aegypti
Cão: - Que nome estranho!
- Aedes parece um mosquito...
Rato: - É o mosquito da dengue, seu ignorante!
Cão: - O que esse cara famoso ta fazendo aqui no lixão, rato?
Rato: - Procurando comida, igual a nós...
Cão: - Mas ele não se alimenta de sangue? Será que ele quer o nosso sangue?
Rato: - Só a fêmea se alimenta de sangue... Vai ver deve estar procurando um lugar...
Cão: - Um lugar para o que, rato?
Rato: - Um lugar para desovar...
Cão: - Ele vai ter filhotes?
Rato: - Ele não, seu besta! Ela... Uma fêmea... Ela...
Cão: - Puxa! Uma fêmea!
Rato: - Sim! Só a fêmea pica seres humanos...
Cão: - Que coisa, hem!
Rato: - Ela precisa de sangue para maturar seus ovos...
- De certo está à procura de um ninho para a filharada...
Cão: - Caramba! Um ninho num lixão!
Rato: - É o lugar ideal!
- Eu mesmo tenho vários parentes nascidos e criados em lixões...
Cão: - É mesmo?
Rato: - Amigo, o lixão é o melhor lugar do mundo para as pragas procriarem.
- Esqueceu que aqui impera a sujeira, a doença, a falta de higiene...
- É tudo que uma praga necessita...
- Isso aqui é o céu... Isso aqui é o paraíso!
(Vai até o mosquito)
Rato: Bem vinda ao paraíso!
Mosquito: Ta falando comigo?
Rato: Não! Estou falando com a lua!
Mosquito: Ah! Pensei que fosse comigo!
Rato: Claro que é com a senhora, madame!
Mosquito: Conhece-me, senhor?
Rato: Só de fama... Só de fama...
Mosquito: Aqui estou na procura de um lar para os meus doces filhinhos...
Rato: Que são milhares, suponho?
Mosquito: Sim! Sou bastante fértil e não gosto de perder tempo.
Rato: Por quê?
Mosquito: Minha vida, apesar de agitada, é breve... Uns três meses, noventa dias no máximo... E tenho que aproveitá-la da melhor maneira possível...
Rato: Como assim?
Mosquito: Picando o maior número de animais de sangue quente.
Cão: - Eu tenho sangue quente!
Mosquito: - Não tenha medo! Você é muito peludo, prefiro uma pele mais delicada, como a dos homens... Como a das crianças...
Cão: - Que maldade! Coitadas das crianças!
Mosquito: - Coitadas? Não... Não... Elas são o meu prato predileto... Sou fatal!
Cão: - Fatal?
Mosquito: - Me conheces, cavalheiro?
Cão: - Não... Não...
Mosquito: - Sou o mosquito da dengue.
- Não precisa apertar a minha mão... Ah... Ah... Ah...
- Basta uma picada deste meu delicado bico... E você vai pro beleléu...
Cão: - Que horror! Que horror!
Mosquito: - Horror? Que nada!
- Horror é o depois da picada... Dor de cabeça... Dor atrás dos olhos... Manchas na pele... Febre alta... Dores nas juntas... Hemorragia... Uma festa... Uma festa para mim!
Cão: - E para a família?
Mosquito: - Para a família?
- O desespero... A angústia... O medo... Eu não tenho cura... Eu sou letal...
Cão: - Mas as crianças, madame!
- Picar crianças? Sugar o sangue de crianças?
Mosquito: - Uma delícia! Sangue jovem, cheio de energia!
- Meus futuros filhos agradecem...
- Crianças!...
- Crianças fuçam em tudo: água parada, pneu velho, garrafas abandonadas, caixa d’água sem tampa... Largam em qualquer lugar brinquedos que podem se encher de água e me dá de presente um lar para meus filhinhos... Obrigada!
Cão: - São apenas crianças... Procurando diversão...
Mosquito: - Procuram diversão e me acham... Eu sou a diversão!
Cão: - A senhora é maldosa!
Mosquito: - Maldosa! Eu? E você, que transmite raiva?
Cão: - Eu? Raiva?
Mosquito: - Sim! É só pegar o vírus e aí... Você começa a babar, a babar... E quer morder todo mundo!
- O vírus da raiva quer sobreviver e, para isso, você precisa morder, morder e depois morrer!
Cão: - A senhora é muito má!
Mosquito: - Eu? Má! Claro que sou uma madama...
- Bom é o seu dono que não lhe deu a vacina contra a raiva.
Cão: - Tem vacina?
Mosquito: - Tem!
Cão: - Tem cura?
Mosquito: - Não! Tem que vacinar o filhote com mais de 45 dias e ele estará a salvo de tal tormento...
Cão: - Eu não fui vacinado! Meu Deus! Eu não fui vacinado!
Mosquito: - Azar seu!
Rato: - Pare de zoar com meu amigo, sua desmiolada!
- Parece que picou um bêbado!
Mosquito: - Inocente ratinho... Defensor dos oprimidos...
- Quem é você, afinal?
- Já passou leptospirose para os humanos, hem?
Rato: - Leptospirose?
Mosquito: - Sim, amor...
- Está na sua urina... E mata!
Rato: - E mata?
Mosquito: - Mata, sim!
- Normalmente é confundida com a dengue. Os sintomas são similares...
- Quando são descobertos a tempo, tem cura... Quando não... É fatal!
Rato: - Tem vacina? Tem vacina?
Mosquito: - Não! Não... Não...
- Você é o reservatório...
Rato: - Eu sou um reservatório! Eu sou um reservatório!
- O que é um reservatório?
Mosquito: - É o ser que carrega a doença no seu organismo.
- Você é o hospedeiro... Em você, amigo, ela está na sua urina, no seu cocô...
- É uma bactéria, a tal leptospira... E, quando você, seu mijão, faz xixi, contamina tudo: o solo, a água, a comida do forno, o lanchinho da merenda, a água do esgoto, a comida do cachorro, a chupeta do bebê... Tudo... Tudo... Tudo...
Rato: - Somos uma praga!
Mosquito: - Eu sou uma praga!
Cão: - Eu posso ser uma praga!
Mosquito: - Preciso achar um lugar para depositar os meus ovos...
Cão: - A senhora está grávida?
Mosquito: - Não está notando esta belíssima barriga?
Cão: - Claro claro...
Mosquito: - Você estava pensando que eu era apenas uma garota digamos... Fofinha?
Cão: - Não, minha senhora! Não, minha senhora!
Mosquito: - Eu não sou sua senhora!
Cão: - Claro que não, minha senhora...
Mosquito: - Eu sou o mosquito da dengue!
Cão: - Sim... Sim... Sim...
Mosquito: - Está com medo de mim, cachorro?
Cão: - Um pouco... Um pouco...
Mosquito: - Pena que eu já esteja satisfeita! O seu sangue deve ser delicioso.
Cão: - Nada... Nada... É horrível... E sem gosto...
Mosquito: - Meu petisco! Preciso encontrar com urgência um local adequado para depositar meus amados ovos...
Cão: - Um ninho?
Mosquito: - Sim!...Um ninho pode-se dizer... Um local com água parada...
Cão: - Água parada?
Mosquito: - A água tem que estar parada... Imóvel... Para que minhas crianças possam desenvolver-se...
- Talvez um vaso de planta... Um pneu velho... Um balde ou lata sem tampa... Uma casca de ovo... Uma tampinha de garrafa...
Cão: - Tampinha de garrafa?
Mosquito: - Sim!...Qualquer objeto ou local com um mínimo de água já basta...
- Ponho meus ovos e, em dez dias, milhares de cópias minhas estarão por aí... Famintas de sangue...
Cão: - E sem a água parada?
Mosquito: - Eu não posso ter meus filhotes e vou morrer...
- Meus ovos podem sobreviver por 450 dias, mas minha vida é breve... Só sou famosa porque os humanos são descuidados...
Cão: - Descuidados? Como assim?
Mosquito: - Cachorro tem rabugem... Sarnas como dizem...
- Por que você pegou sarna? Porque seu dono não lhe deu banho, certo?
- Por que o rato transmite doenças para as pessoas? Porque as pessoas não limpam direito suas casas... Os ratos só sobrevivem onde encontram comida e abrigo...
Cão: - Certo! Estou entendendo...
Mosquito: - Eu? Por que estou aqui? Porque alguém, por descuido ou preguiça, não esvaziou uma velha garrafa jogada fora... Não cobriu um pneu velho... Esqueceu de fechar a caixa d’água... Regou em demasia um vaso de planta...
Cão: - Tão simples! Tão simples!
Mosquito: - Simples e fácil, mas os humanos são descuidados.
- Se não limpam nem mesmo a própria casa, imagine se vão limpar ruas, calçadas, terrenos baldios...
_ O meu medo é se as autoridades começarem a agir...
Cão: - É mesmo... Se começarem a carpir terrenos descuidados, vistoriar casas e punir os sujinhos, pôr raticidas nos locais apropriados... Caminhão com fumaça anti-pernilongos... Tratar a água com cloro, acabar com focos de infestação, dar mais atenção à saúde pública, zelar pela coleta de lixo... Mas seria pedir muito... Um sonho!
Mosquito: - É meu pesadelo! Meu medo!
Cão: - Se as pessoas levassem a saúde pessoal a sério, e cada um fizesse a sua parte, nada disso aconteceria... Mas... As pessoas jamais terão essa consciência ecológica!
Mosquito: - Por que não?
Cão: - Porque as mais velhas não estão nem aí para tal problema... Só pensam nelas mesmas... Não olham para o mundo como um bem comum...
Mosquito: - Não? Ainda bem!
Cão: - Claro que não! Você mesmo deve ter visto pessoas jogando lixo na água... Água é um bem comum, pertence a todos nós, seres vivos.
- A água é um bem precioso para a vida, o local onde vivem os peixes que servem de alimento, que faz as plantas crescer... Que sacia a sede... Que controla a temperatura do planeta... A água é muito importante.
Mosquito: - É verdade, mesmo!
Cão: - Não só a água, mas também a mata, as árvores que dão frutas... Os pássaros que comem as frutas e semeiam as sementes...
- Nós vivemos num ecossistema e, quando algo nele é destruído, tudo começa a dar errado... Os rios assoreiam e secam... As árvores morrem... Os pássaros desaparecem... A pobreza se instala...
Mosquito: - Que bom!Que bom!
Cão: - Bom coisa nenhuma... Os animais invadem os espaços que não são seus... Por isso você e o rato estão aqui...
- Chamam vocês de pragas, mas quem os chamou quem abriu as portas de suas casas para vocês, foram os humanos... Foram eles que os alimentaram com sua falta de higiene, sua falta de consideração por seus semelhantes, seu desamor pela natureza...
Mosquito: - Então nós, animais, não somos os únicos culpados por tantas doenças?
Cão: - No fundo... No fundo, não...
- Os humanos destroem habitats naturais e, com eles os predadores originais. Esquecem que não são os únicos seres vivos no planeta... Desrespeitam a mãe natureza que trata a todos nós como filhos...
Mosquito: - Do jeito que você fala o mundo não tem futuro!
Cão: - Tem futuro, sim! Tem muito futuro!
Mosquito: - Com tudo o que está acontecendo... Ainda tem futuro?
Cão: - Sim, o futuro está com as crianças.
Mosquito: - Com as crianças?
Cão: - Sim! Elas podem salvar o mundo...
- Se os adultos não têm mais nada para contribuir, as crianças, com sua simplicidade e amor a tudo o que é vivo, podem auxiliar...
Mosquito: - Mas como?
Cão: - Sendo menos egoístas... Estudando para aprender e entender a vida... Sentindo que cada uma delas é uma pequena parte deste lindo planeta... E que a Terra é como um grande barco que leva todos nós através do rio do tempo, pelo mar do espaço... E que, se esse barco naufragar, tudo estará perdido...
Mosquito: - Incrível! As crianças!Minhas deliciosas crianças!
Cão: - Sim! São as crianças que herdarão a Terra... Elas devem aprender por si próprias, já que os adultos estão cegos pela ganância, vaidade e poder, e nada podem ensinar...
Mosquito: - É verdade!...É verdade!...Tomara que não consigam...
Cão: - As crianças devem tratar a Terra como mãe dadivosa que tudo dá de graça... Devem aprender a respeitar todos os seres vivos... Não devem roubar o que os outros conquistaram com trabalho...
- Acabar com a inveja, que é a incapacidade de produzir... Com a ganância que tira o necessário de quem pouco tem... Com a intolerância, sabendo que o mundo é de todos... Respeitar os limites impostos pela lei e pela sociedade... Cobrar o que é de direito... Fiscalizar o bem comum...
Mosquito: - É um trabalho muito difícil para seres tão frágeis!Nunca conseguirão...
Cão: - Mas um dia terá de ser executado...
- Se os humanos querem o controle terão que disputá-lo palmo a palmo com os outros seres vivos que povoam a terra...
Mosquito: - Como assim... Disputar?
Cão: - O jogo está empatado... E, se continuarem os humanos com seu descaso pela natureza, a vitória das pragas...
Mosquito: - Será uma grande festa! Sem os humanos, o mundo voltará a ser só nosso...
Cão: - Hei! Vem vindo gente!
Mosquito: - Lá vem encrenca!

(Fim do I Ato)
Ato II

(Meninos em frente a um terreno baldio – estão com uma bola)

Beto: - Nooossa, Dudu! Olhe o que fizeram com o nosso campinho!
Dudu: - Jogaram lixo no nosso campinho!
Beto: - Que sacanagem!
Dudu: - Sacanagem? Não! Isso é falta de educação, estão sujando o terreno do Seu Jorge...
Beto: - Pobre do Seu Jorge! Estava pensando em construir e olha o que fizeram!
Dudu: - Não se pode jogar lixo em terreno baldio... Vem um e joga papel de picolé... Vem outro e joga uma sacola com lixo... Logo, logo, já tem até sofá velho... E geladeira...
Beto: - Enquanto é só papel é fácil limpar, mas uma montanha de lixo... Coitado do Seu Jorge... Vai ter que pagar um caminhão para retirar toda essa porcaria...
Dudu: - E, além disso, lixo é chamariz de doenças...
Beto: - É mesmo!...Barata... Escorpião... Rato... Pernilongo...
Dudu: - Um cachorro!
Beto: - Cachorro não é praga!
Dudu: - To vendo um cachorro...
Beto: - É o Zecão... O cachorro do Seu Ary Osvaldo...
Dudu: - O que ele está fazendo aqui?
Beto: - Você não soube? O seu Ary Osvaldo o pôs porta afora...
Dudu: - O que ele fez? Mordeu alguém?
Beto: - Que nada! Zecão é boa praça! Pegou rabugem...
Dudu: - Tenho medo de pegar doenças... É bom nem chegar perto desse sarnentinho!
Beto: - Que é isso, Dudu?! Rabugem se cura fácil! É só dar banho com um sabonetinho especial...
Dudu: - Vai ver que é muito caro e o Seu Ary Osvaldo não tem dinheiro...
Beto: - Se o Seu Ary Osvaldo não tem dinheiro, quem vai ter? E depois, o sabonete é bem baratinho...
Dudu: - Tão barato e o Seu Ary Osvaldo não comprou!
Beto: - Ele é muito ocupado. Vai ver que não teve tempo, não quis comprar... Sabe como é gente adulta, cheia de não-me-toques...
Dudu: - Nada disso, Beto. Às vezes as pessoas não estão preparadas para cuidar de um cachorro.
Beto: - É verdade! Um filhote é lindo, todos querem... Mas esquece que um animal tem que tratar, dar banho, matar as pulgas, dar um vermífugo, vacinar contra a raiva e outras doenças...
Dudu: - Será que o Zecão foi vacinado?
Beto: - Do jeito que o Seu Ary Osvaldo é! Duvido!
- Se pegou rabugem, nem banho dava...
Dudu: - Vem cá, Zecão!
Beto: - Vem cá, amigão!
- Zecão é inteligente... Gosta de brincar... Vou cuidar dele...
Dudu: - Não tem medo de pegar rabugem?
Beto: - Que nada! Passo no veterinário e depois compro um sabonete anti-sarna e, com ele, dou um bom banho no Zecão. Uns três banhos e ele estará novinho em folha...
Dudu: - E, com certeza, muito feliz!
Beto: - Viu Zecão? Vou levar você para a minha casa... Cuidar de você e também fazer uma casinha.
Dudu: - Beto!...Não precisa exagerar!
Beto: - Todo cachorro tem que ter um cantinho só seu.
Dudu: - Eu, hem!
Beto: - Dudu, não tem hora que você gosta de ficar sozinho, sonhando... Inventando histórias?
Dudu: - Tem, sim.
Beto: - Então... Cachorro é a mesma coisa... Tem momentos em que quer ele quer ficar sozinho.
Dudu: - Cada coisa!
Beto: - Ele pode querer roer um osso bem sossegado...
Dudu: - Tirar uma soneca...
Beto: - Fugir de um gato...
Dudu: - Só se for medroso!
Beto: - Se esconder do dono...
Dudu: - Fugir da chuva...
Beto: - Se esconder do frio...
Dudu: - Se proteger...
Beto: - Isso mesmo! Se proteger da raiva!
Dudu: - Raiva é raiva?
Beto: - Como assim?
Dudu: - É réiva? É braveza?
Beto: - Não, não... O nome é hidrofobia. O cachorro começa a babar e quer morder quem chega perto... Acho que ele fica meio doidão.
Dudu: - Meio doidão?
Beto: - É sim! Foge da luz, fica todo maluco... Pelo ouriçado... Dentes à mostra... Baba demais...
- Se morder alguém, a pessoa adquire a tal hidrofobia e morre...
Dudu: - Tem cura?
Beto: - Não tem cura...
Dudu: - Coitado!
Beto: - É mesmo! O único modo de dar alívio ao animal é sacrificando-o...
Dudu: - Sacrificando?
Beto: - Um nome bonito para dizer matar.
Dudu: - Mas você não falou que o cão pode ser vacinado?
Beto: - Com certeza, tem que ser vacinado. Assim ele não contrai a doença e, se alguém for mordido por um cão desconhecido, tem que tomar vacina também... Imediatamente...
Dudu: - Fácil... Fácil...
Beto: - É sim... E também tem que levar o cachorro no posto de vacinação. Lá, ela é grátis e todo ano tem campanha... Ou então tem que levar no veterinário... A vacina é bem baratinha.
Dudu: - Vai vacinar o Zecão?
Beto: - Vou pedir para o meu pai levar o Zecão no posto de vacinação. Só cachorro com mais de 45 dias de vida pode ser vacinado.
Dudu: - Aí, Zecão! Vai ter vida de rei! Uma casinha nova... Um bom banho... Roupinha nova... E vacinado... Uau!
Beto: - Vai esquecer até a casa bacana do Seu Ary Osvaldo...
Dudu: - Com certeza já esqueceu!
Beto: - Vou cuidar muito bem do Zecão, mas sem banho e sem remédio, nem chegue perto! Fica ali, Zecão... Isso! Deitadinho... Depois vamos para casa, amigão...
Dudu: - Beto! Acho que vi um rato! Eu vi um rato...
Beto: - Esse lixo já começou a dar problemas...
Dudu: - Problemas?
Beto: - Rato em lixo é encrenca pura!
Dudu: - Por quê?
Beto: - Rato procura comida e abrigo. Se achar vira uma praga!
Dudu: - Rato é praga?
Beto: - E das piores... Têm muitos filhotes... Procriam demais... Trazem doenças...
Dudu: - Rato traz doenças?
Beto: - E como traz!
Dudu: - Me conta... Me conta...
Beto: - Os ratos são portadores de uma bactéria, que é um bichinho muito pequenininho, chamada leptospíra... A infecção humana resulta da exposição à urina de animais doentes...
Dudu: - Se entendi bem, essa tal leptospíra está no xixi do rato?
Beto: - Isso mesmo! Quando o rato come, ele ao mesmo tempo, faz xixi e cocô...
Dudu: - Incrível!
Beto: - Então, em qualquer lugar em que o rato se alimente ele faz a maior caca... No saco de farinha... Na panela de arroz... No pão descoberto... Em cima da mesa... No lanchinho sem embrulho... No saquinho de biscoito...
Dudu: - Mas o rato é mesmo uma praga, hem?
Beto: - Por isso, o lugar onde tem cocô de rato tem que ser higienizado, a comida em que ele mexeu jogado fora... A água em que ele fez xixi não pode ser tocada...
Dudu: - Nem a água?
Beto: - Nem a água... Por isso, andar em rua alagada, brincar em esgoto, pôr os pés em água parada é um grande perigo.
Dudu: - Grande perigo?
Beto: - Sim! Caso tenha ratos no pedaço, a urina é levada pela água e, com ela, todos aqueles bichinhos, as leptospíra, entram através dos poros da pele...
Dudu: - Dos poros da pele?
Beto: - Não precisa ter nenhum arranhão... É o contato demorado com a água que captura a tal bactéria.
Dudu: - E daí?...
Beto: - Daí que a pessoa infectada, entre sete a catorze dias, começa a ter hemorragia, os rins param de funcionar... O pulmão começa a falhar... Tem uma pneumonia... Muita dor...
Dudu: - Que coisa horrível!
Beto: - Rato é assim mesmo. Tem que ter muito cuidado. Se ele se apossar de um local, só mesmo desratizando para ele ir embora.
Dudu: - Desratizar é o mesmo que matar o rato?
Beto: - Desratizar é pôr veneno, ratoeira... Quem faz isso é a prefeitura. Ela tem os técnicos e as iscas certas e aprovadas para erradicar com segurança o problema.
Dudu: - Iscas, Beto?
Beto: - Sim... Isca é um veneno fatal... Mas só é aconselhado utilizá-lo sob a orientação de um técnico...
Dudu: - Por quê?
Beto: - Se outro animal comer ou uma criança pequena puser na boca, se envenena na hora...
Dudu: - Morre que nem rato?
Beto: - Se não for tratada imediatamente, morre.
Dudu: - Então, se uma criança comer por engano, o que se deve fazer?
Beto: - Tem que imediatamente procurar socorro médico... Por isso, não é bom usar qualquer tipo de veneno nas casas... É melhor uma ratoeira, mas o melhor mesmo é manter a casa limpa.
Dudu: - Então, limpeza é fundamental?
Beto: - Sim... Fundamental... O rato só permanece em locais onde tenha comida... Se a panela estiver fechada... Os alimentos bem acondicionados... O forno do fogão limpinho... Pães e doces em potes fechados ou lugares seguros, o rato desiste e vai procurar alimento em outro local...
Dudu: - O rato é bem espertinho...
Beto: - Por demais... Basta um ralo aberto, um buraco na parede, uma telha mal colocada, uma porta aberta... E lá vem o esperto invasor...
Dudu: - Mas um bom gato caçador resolve o problema...
Beto: - Nem sempre... Às vezes o rato entra num buraco e fica horas na espera do gato ir embora.
Dudu: - Doença de rato tem vacina?
Beto: - Tem não... Tem não...
Dudu: - Então, é fatal?
Beto: - É sim... E traz muito sofrimento, mas é tão fácil de evitar... Tão fácil não se contaminar... É só manter tudo limpinho...
Dudu: - Então, essa é a melhor maneira de evitar o contágio?
Beto: - É sim... Limpar bem a casa... Não andar descalço... Não comer alimento onde o rato fez xixi.. Evitar ruas e locais alagados por chuvas... Não brincar em poças de água parada...
Dudu: - Até isso?
Beto: - Até isso! Sim. Quem quer ter saúde tem que se cuidar...
Dudu: - Acho que vamos ter que dar um susto nesse rato que eu vi...
Beto: - Dudu vamos tirar o lixo do campinho?
Dudu: - Legal... Seu Jorge vai ficar muito contente...
Beto: - E nós poderemos jogar bola num lugar bem limpinho...

(Começam a tirar os sacos de lixo)

Beto: - Vamos colocar na calçada para o caminhão do lixo levar...
Dudu: - Bem que os porquinhos que jogaram todo esse lixo aqui poderiam ter feito isso...
Beto: - É só colocar o lixo em local apropriado e o lixeiro leva no horário certo...
Dudu: - É muito descaso com a vizinhança jogar lixo em casa alheia...
O rato vai ficar sem casa... O rato vai ficar sem casa...
Beto: - Se encontrar lugar com água parada tome cuidado.
Dudu: - Por quê?
Beto: - É um ninho para os mosquitos porem seus ovos...
Dudu: - Mais essa...
Beto: - É sim... O mosquito da dengue sempre procura locais com água parada para pôr seus ovos...
Dudu: - A dengue está virando uma epidemia, não é, Beto?
Beto: - Ta mesmo! Mas tem solução...
Dudu: - Tem solução? Qual é?
Beto: - Acabar com os locais onde ele desova...
Dudu: - E que locais são esses?
Beto: - Qualquer lugar onde tenha água parada...
Dudu: - Qualquer lugar?
Beto: - Sim... Latas jogadas... Pneus velhos... Calhas abandonadas... Prato de vaso de plantas sem areia... Caixa d’água aberta... Bebedouros de animais domésticos sem troca diária de água... Potes, filtros, garrafas e latões de água com sobras de líquido... Ralos, lixo, baldes e bacias e, casas desocupadas...
Dudu: - Ei! Assim não sobra nada...
Beto: - Elas põem ovos até em casca de ovo e tampinha de garrafa... É só ter o mínimo de água...
Dudu: - Bichinho danado de esperto, hein!
Beto: - É o transmissor da dengue...
Dudu: - Essa dengue ta dando o maior trabalho é uma confusão... Mas, Beto, afinal o que é a dengue?
Beto: - A dengue é uma doença transmitida por um mosquito, na verdade uma “mosquita”, pois o macho se alimenta de néctar das flores, é chamado Aedes aegypti
Dudu: - Vou guardar esse nome: Aedes aegypti
Beto: - A dengue é transmitida pela fêmea do Aedes aegypti... Ela pica a pessoa e, se estiver infectada, a pessoa começa a sentir os sintomas entre sete e quinze dias...
Dudu: - E quais são os sintomas?
Beto: - Os sintomas mais comuns são febre, dores no corpo, principalmente nas articulações, e dor de cabeça... Também podem ocorrer náuseas, vômitos e manchas vermelhas pelo corpo.
Dudu: - E aí, o que se faz se aparecerem esses sintomas?
Beto: - Deve-se procurar o posto de saúde ou pronto-socorro mais próximo... Depois ficar em repouso e beber muito líquido...
Dudu: - Como eu vou saber se o mosquito que me picou é o Aedes?
Beto: - O Aedes é escuro e rajado de branco e ataca durante o dia...
Dudu: - Como aquele que está ali?
Beto: - É o próprio...
Dudu: - Vamos fugir Beto! Eu não quero pegar dengue!
Beto: - Fique calmo, Dudu! Essa aí está procurando um local para desovar...
Dudu: - Como você sabe?
Beto: - Ta bem gordinha não ta?
Dudu: - Acho que está grávida!
Beto: - Vamos acabar com a alegria dela... Vamos continuar a limpar esse terreno... Ela não vai encontrar um ninho e vai morrer...
Dudu: - Vamos limpar mais rápido, Beto. Antes que ela nos pique...
Beto: - Essa aí não pica mais...
Dudu: - Mas veja o bicão que ela tem!
Beto: - Ela pica porque necessita de sangue para maturar seus ovos... Agora ela só pensa em preservar a filharada...
Dudu: - E parece que são muitos...
Beto: - São milhares... Levam menos de três dias para virarem larvas, mas precisam de água parada para se desenvolverem...
Dudu: - Vamos ver se tem algum local ou objeto com água parada...
Beto: - Tem que lavar os objetos se já tiverem um foco de transmissão...
Dudu: - Como assim?
Beto: - Os ovos sobrevivem por até 450 dias na parede seca dos objetos contaminados... Quando chover e o objeto armazenar água, todo o ciclo se reinicia...
Dudu: - Ciclo?
Beto: - Ovo... Larva... Pupa... Adulto... Entre sete e 10 dias eles já estarão voando...

(Procuram e não acham nenhum foco... o mosquito está morrendo)

Dudu: - Só achei um brinquedo velho jogado fora...
Beto: - É um perigo! Até brinquedos abandonados viram foco dessa doença...
Dudu: - Olhe! O rato fugiu!
Beto: - O terreno está limpinho e o rato detesta limpeza...
Dudu: - O mosquito morreu...
Beto: - Não achou lugar para desovar... Essa aí não pica mais ninguém...
Dudu: - Ufa! Que trabalhão! Limpamos o terreno. Seu Jorge vai ficar contente...
Beto: - Tomara que não apareçam outros porcos para sujarem o terreno do Seu Jorge...
Dudu: - É uma falta de educação jogar lixo no terreno dos vizinhos...
Beto: - É mesmo! Lixo tem que ser ensacado e colocado no lugar certo para ser recolhido... Se possível, separar vidros, plásticos e papel dos outros resíduos domésticos...
Dudu: - É mais fácil para o caminhão levar...
Beto: - E não é só isso! É muito mais fácil de reciclar.
Dudu: - Reciclar?
Beto: - Reaproveitar... As indústrias compram papel, latinhas de alumínio, garrafas plásticas e reaproveitam tudo...
Dudu: - Reaproveitam?
Beto: - Desmancham tudo e transformam novamente em outros objetos... Isso evita a destruição de florestas e de recursos não renováveis...
Dudu: - Que papo, hein?!
Beto: - Cada quilo de papel velho reciclado evita o corte de muitas árvores... Cada latinha de alumínio reutilizada evita a retirada de mais minérios e, além disso, fornece trabalho e fonte de renda para centenas de pessoas que catam esses objetos e vendem...
Dudu: - Tem gente que compra latinha usada?
Beto: - Tem... E pagam um bom preço... Em vez de jogar no lixo, o bom mesmo é ir guardando e, quando tiver um montão, amassar e vender nos locais que compram...
Dudu: - Vou fazer isso e talvez compre uma bola nova... Um caderno...
Beto: - Uma bicicleta...
Dudu: - Nooossa! Uma bicicleta é meu sonho!
Beto: - Eu quero comprar livros...
Dudu: - Livros, Beto?!
Beto: - Livros guardam conhecimento e eu quero conhecer muitas coisas, quero aprender sobre pessoas, animais, sobre o nosso planeta...
Dudu: - Até sobre o nosso planeta?
Beto: - Claro Dudu! Quem não conhece o lugar onde vive, não conhece muita coisa...
Dudu: - É mesmo!
Beto: - Não pode dar informação sobre nada... Não tem um bom diálogo com as outras pessoas... Não sabe o que é bom ou ruim para a saúde... Não conhece nada de pássaros, rios, bichos e plantas de outros lugares...
Dudu: - É verdade! Os livros e revistas estão cheios de conhecimento, alguns muito importantes, não é, Beto?
Beto: - Eu sei tudo sobre a dengue e doenças transmissíveis... Meu pai sempre fala comigo... Explica as coisas da vida... Os cuidados que eu devo ter... Como me proteger... Como tratar as pessoas... Como me comportar...
Dudu: - Seu pai é dez!
Beto: - Meu pai e minha mãe são as pessoas mais importantes na minha vida... São eles que me orientam e me educam... Eu sou o que eles me ensinaram a ser... Estou sempre perguntando... Sou apenas uma criança tentando aprender a viver... Eu quero ter uma vida muito bacana... Quero cuidar da minha saúde, da saúde das plantas e dos animais...
Dudu: - Você vai ser cientista, Beto?
Beto: Quem sabe!... Quem sabe!... Mas eu sei que sou um ser humano... O bicho mais inteligente que existe... A consciência da Terra... Sei que estou aqui para ser feliz e zelar por tudo o que existe... É isso aí, Dudu... Eu sou um zelador da vida...
Dudu: - Gostei dessa!... Um zelador da vida...
Beto: - Se cada um de nós fizer a sua parte, ajudando a preservar a natureza, os rios, as matas, as águas... Não sujando os lugares públicos, preservando o que é nosso e dos outros, como ruas e calçadas... Isso aqui vira um paraíso...
Dudu: - Hoje nós ajudamos, não ajudamos Beto?
Beto: - Ajudamos o Seu Jorge limpando o terreno dele... Ajudamos a sociedade, matando o mosquito da dengue... Afugentamos um rato que pode transmitir doenças... Ajudamos a nós mesmos, fazendo o bem... E ajudamos o Zecão...
Dudu: - Vem, Zecão... Vamos jogar bola no nosso campinho bem limpinho, vem...

(Beto, Dudu e Zecão ficam jogando bola)



F I M


Autor: GASTÃO FERREIRA/IGUAPE/SP
www.gastaodesouzaferreira.blogspot.com



OBS:- SE UM GRUPO DE TEATRO AMADOR ESTIVER A FIM

QUE REPRESENTEM A PEÇA(A DENGUE É PROBLEMA NACIONAL)

É O AMOR

É O AMOR



TALVÊZ NAS ESTRÊLAS
...NO FUNDO DO MAR!
EM MEIO A ESPINHOS
ME POSSA ENCONTRAR


QUEM SABE ME NOTE
NA RUA A PASSAR...
NOS BECOS E CANTOS
... TEM TANTO LUGAR!


PERDIDO NA NOITE
CHAMANDO MEU NOME
BUSCANDO CARINHO
MORRENDO DE FOME...


TRANCADO EM CASTELOS
NA TORRE MAIS ALTA...
SENTINDO DESEJOS
CHORANDO MINHA FALTA!


QUEM SABE ELE VENHA
NUM DISCO VOADOR?
... DE ONDE CHEGAR...
EU SEI:- É O AMOR!


GASTÃO FERREIRA/IGUAPE/SP

segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

MÃOS CARIDOSAS


MÃOS CARIDOSAS


POR QUE ESSA CARA FEIA?
JÁ NÃO QUERES MAIS VIVER?
ÉS COMO ARANHA NA TEIA...
SÓ NA ESPERA!... VAIS SOFRER.

TENS MÊDO ! DIZES BAIXINHO,
DE GOSTAR DO QUE SE GOSTA!
MAS QUE FULANO BOBINHO...
ALGUÉM LIGA PRÁ ESSA JOSTA?

VÁ VIVER A TUA VIDA...
VAI CUIDAR DO TEU CAMINHO!
SE O DODÓI VIROU FERIDA...
QUEM VAI TIRAR TEU ESPINHO?

NÃO SÃO AS MÃOS CARIDOSAS!
PEDRAS GOSTAM DE ATIRAR...
NOTAM ESPINHOS, NUNCA ROSAS,
TEM PRECONCEITOS NO OLHAR...

NÃO TEM JEITO, CARO AMIGO,
PARE DE SE LAMENTAR!...
SE ENTENDA BEM CONSIGO
E A TUA DOR VAI PASSAR...


GASTÃO FERREIRA/IGUAPE/SP

domingo, 14 de dezembro de 2008

CARLINHOS


CARLINHOS


CARLINHOS GOSTAVA DE FAZER EXPERIMENTOS. ERA UM GAROTO MAGRICELO, MEIO ESTRÁBICO, COM ÓCULOS FUNDOS DE GARRAFA, FEIO FEITO UM PALAVRÃO... SUA DIVERSÃO ERA A QUÍMICA.
O PAI EMBORCAVA UMAS PINGAS E BATIA NA MÃE E NO CACHORRO. A MÃE ESPANCAVA AS CRIANÇAS E O CACHORRO. O CACHORRO RASGAVA OS MÓVEIS E MORDIA AS CRIANÇAS E AS CRIANÇAS SE TRUCIDAVAM ENTRE SI.
CARLINHOS NÃO AGUENTAVA MAIS OS MAUS TRATOS DO PAI, DA MÃE, DOS IRMÃOS E DO CACHORRO. JUNTOU SEUS TROCADOS E COMPROU UMA CAIXA DE BOMBONS, LEVOU PARA SEU “LABORATÓRIO”, UM AMONTOADO DE TÁBUAS NO FUNDO DO QUINTAL, COMEU ALGUNS...
SEXTA-FEIRA PEDIU A MÃE PARA DORMIR NA CASA DOS AVÔS. A MÃE CONSENTIU, MAS NO FINAL DA SEMANA TERIA DE VOLTAR COM A VÓ E O VÔ PARA O ALMÕÇO DOMINICAL.
NO DOMINGO UM CAMBURÃO DA POLÍCIA ESTAVA ESTACIONADO FRENTE A CASA...TODA A FAMÍLIA ESTAVA MORTA. A TV ENTREVISTOU CARLINHOS, QUE AOS PRANTOS, PEDIA JUSTIÇA E PROMETIA PROCESSAR O FABRICANTE DE BOMBONS, QUE CONTAMINADOS DESTRUIRA PARA SEMPRE SUA FELÍZ FAMÍLIA...




GASTÃO FERREIRA/IGUAPE/SP

sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

AO PORTAL DE IGUAPE






IGUAPE! MINHA CIDADE
DIFÍCIL ENTENDER VOCE...
QUANTO MAIOR A MALDADE
TANTOS APLAUDEM! POR QUE?

É FALTA DE AMOR, POR CERTO,
DOS QUE VIVEM DO PODER...
ENTRE SORRISOS INCERTOS
O QUE QUEREM É TE ESQUECER!

NÃO TEM JEITO A MENDICÂNCIA
NÃO SE PAGA O IPTU...
MAS AO TEU REPRESENTANTE
SEMPRE SOBRA UM BOM ANGÚ!

É POBRE FERRANDO POBRE.
RICO SE ACHANDO BACANA
E TODO O MUNDO DE PORRE
RODANDO NESSA CIRANDA...

COM UM PORTAL TÃO BONITO
NÃO EXISTE UM OUTRO IGUAL
NOSSAS PIRÂMIDES DO EGITO,
LÁ NA MARGEM DO CANAL...

NÃO LEVA A LUGAR NENHUM,
FICA AO LADO DA ENTRADA...
FOI FEITO PARA ENGANAR
A NOSSA PRÓPRIA SAUDADE...

MAS SE ELA NÃO ENCONTRA
A ENTRADA DA CIDADE...
SOU FELÍZ! POIS SOU CONTRA
OS SUSPÍROS DA SAUDADE!


GASTÃO FERREIRA/IGUAPE/SP

quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

POR FAVOR


POR FAVOR


QUEM DÍZ QUE EU TE ESQUECÍ
NÃO ME CONHECE! É VERDADE
QUANTO MAIOR A DISTÂNCIA,
MAIOR É MINHA SAUDADE...

JÁ TROQUEI O TEU RETRATO
OUTRO TOMOU O LUGAR...
MAS COMO ESQUECER DE FATO
SE PASSO O TEMPO A LEMBRAR!

TUAS FOTOS EU RASGUEI...
TENTEI COLAR! QUE BOBAGEM
ESTÃO TODAS NOS MEUS SONHOS
COMPANHEIRAS DE VIAGEM...

SIGO A VIDA INDIFERENTE...
SEM VELHO OU NOVO AMOR
MAS QUEM SABE? DE REPENTE
ME VISITE!... POR FAVOR...


GASTÃO FERREIRA/IGUAPE/SP

quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

O PESCADOE E A SEREIA


O PESCADOR E A SEREIA

SEU FERNANDO É VELHO. VELHO COMO O MUNDO. TODOS OS QUE O CONHECEM NÃO SE LEMBRAM DE TÊ-LO VISTO DIFERENTE. MESMO NHÁ SABINA, A PESSOA MAIS IDOSA DO POVOADO, RECONHECE QUE HÁ OITENTA ANOS, QUANDO SE DEU POR VIVENTE, SEU FERNANDO JÁ POSSUIA A PARÊNCIA QUE TEM HOJE.
- MISTÉRIOS! DIZEM ALGUNS
- BRUXARIAS! DIZEM OUTROS
CONHECI SEU FERNANDO NO COSTÃO DA JURÉIA, MUNICÍPIO DE IGUAPE. UM GRANDE PESCADOR, MEIO CALADÃO, MELANCÓLICO. NÃO SEI POR QUE ELE ME FEZ SEU CONFIDENTE? TALVEZ PELO SIMPLES FATO DE DESABAFAR, TALVEZ POR PENSAR QUE EU NÃO O LEVARIA A SÉRIO.
ESTAVAMOS FALANDO DO MAR. DAQUELE MAR IMENSO QUE ABRAÇA A JURÉIA APAIXONADAMENTE, QUE CANTA EM SUAS PEDRAS AS CANÇÕES DA ETERNIDADE, QUE RI CHORA E LAMENTA DIA APÓS DIA, SE ESPARRAMANDO ONDA POR ONDA NAS AREIAS DAQUELA BELÍSSIMA PRAIA COMO QUE NÃO QUERENDO DEIXÁ-LA UM SÓ MOMENTO. SEU FERNANDO ME FALOU:- FOI ALI!... BEM ALI! NAQUELAS PEDRAS ENCONTREI LENORA...
- QUEM É LENORA? PERGUNTEI
- UMA SEREIA! RESPONDEU-ME
FEZ-SE SILÊNCIO... SEU FERNANDO OLHANDO O MAR E O SEU PENSAMENTO MERGULHADO NAS ÁGUAS, SUA MENTE BUSCANDO O LEITO OCEÂNICO:- FAZ TANTO TEMPO!...TANTO TEMPO. EU ERA UM JOVEM PESCADOR, MORENO, CORPO ATLÉTICO, NO VIGOR DOS MEUS VINTE E POUCOS ANOS... UM SONHADOR! TIVEMOS UMA TEMPESTADE!...VIM ATÉ A PRAIA. ESTAVA ANDANDO ENTRE AS PEDRAS QUANDO A AVISTEI!...UMA MULHER DE LONGOS CABELOS COR DO SOL! A PARTE SUPERIOR DE SEU CORPO RECOSTADA NA CAVIDADE DAS PEDRAS... APROXIMEI-ME IMAGINANDO UMA NÁUFRAGA, UMA TURISTA DESATENTA QUE NÃO CONSEGUIRA ESCAPAR A TEMPESTADE. SEU DORSO ERA DE UMA TONALIDADE DOURADA QUE EU NUNCA VÍRA... ESTAVA DESMAIADA! REANIMEI-A... AO DESPERTAR, SEU ROSTO ADOLESCENTE, DE UMA EXTRANHA FORMOSURA ATERRORIZOU-SE! MAS ESTAVA FRAGILIZADA PELO ACIDENTE. CONVERSEI MANSAMENTE COM ELA... APAVOREI-ME! SUAS RESPOSTAS ATINGIAM MINHA MENTE COM IMAGENS, COMO UM FILME! ENTÃO FOI A VEZ DELA TRANQUILIZAR-ME... FALOU DO MAR, DO SEU POVO, DE SUA VIDA... ERA UMA SEREIA! DESCOBRIMOS TANTAS AFINIDADES UM NO OUTRO, QUE BROTOU O AMOR! ESSE AMOR IRMÃO DA COMPREENSÃO, MAIOR QUE NÓS DOIS, MAIOR DO QUE OS FRÁGEIS LIMITES DA EXISTÊNCIA, O AMOR TÃO DIFÍCIL DE ENCONTRAR! O AMOR PELO QUAL SONHAVAM E ANCIAVAM NOSSOS APAIXONADOS CORAÇÕES...
- COMO AMEI A PEQUENA SEREIA DOS MEUS SONHOS! COMO LENORA ME AMOU, E ASSIM FORAM SE PASSANDO OS ANOS. ELA LINDA! DOURADA, ETERNAMENTE JOVEM E EU? E EU DIA APÓS DIA ENVELHECENDO CATIVO DAQUELE AMOR. DO AMOR QUE ERA MEU AR, MINHA VIDA, MEU MUNDO! LENORA ENSINOU-ME TECNICAS DE SEU POVO, CONTOU-ME OS SEGRÊDOS DO MAR. DE DIA, SOU FERNANDO O PESCADOR... UM VELHO! A NOITE SOU NANDO, O AMANTE DE LENORA... MINHA LUZ! NO MEU DESEJO, NÃO VEJO À HORA DE MORRER PARA QUE MEU ESPÍRITO POSSA PARTIR DEFINITIVAMENTE PARA O MAR. MAS TALVEZ POR COMPARTILHAR DO AMOR DE LENORA, TENHO UMA SAÚDE DE FERRO...
SEU FERNANDO CALOU-SE. OLHOU LONGAMENTE AS ONDAS E FOI PARA SUA CABANA. MANTIVE-ME IMÓVEL... NÃO SABIA O QUE PENSAR! FUI PARA CASA, TOMEI UM BANHO, OUVI MÚSICA ATÉ A NOITE CHEGAR. MEU PENSAMENTO VOLTADO PARA SEU FERNANDO. ERA UM LOUCO! MELHOR ESQUECER...
A NOITE ESTAVA ESPLENDOROSA, LUA CHEIA! RESOLVI DAR UM PASSEIO NA PRAIA, IR ATÉ AS PEDRAS ADMIRAR AS ESTRÊLAS. HAVIA ESCALADO METADE DO CAMINHO QUE LEVA A CACHOEIRA QUANDO ME VOLTEI E VI SEU FERNANDO ANDANDO NA PRAIA. ESCONDÍ-ME E FIQUEI A OBSERVÁ-LO.
SEU FERNANDO DEITOU-SE A BEIRA MAR, PARECIA QUE IA DORMIR... UMA EXTRANHA LUMINOSIDADE SAIA DE SEU CORPO FORMANDO OUTRO SER EM TUDO IDENTICO A SEU FERNANDO, SÓ QUE MAIS JOVEM, ATLÉTICO, BONITO. UM CORDÃO COR DE PRATA UNIA O JOVEM AO VELHO CORPO. BRUXARIA! PENSEI... NESSE MOMENTO UM FENÔMENO BELÍSSIMO OCORRIA NO MAR. A LUZ DA LUA CHEIA REFLETIDA EM LONGOS CABELOS DOURADOS REVELAVA A BELEZA SEM IGUAL DE UM ROSTO ADOLESCENTE! O JOVEM ENTRA NA ÁGUA, ABRAÇA AQUELE SER QUASE DIÁFANO E AMBOS MERGULHAM...
EU ALI! TESTEMUNHA SILENCIOSA DAQUELE MISTÉRIO QUE NÃO SEI EXPLICAR. UM CORPO VELHO, ALQUEBRADO, COMO QUE DORMINDO NA AREIA E AQUELE ESTRANHO CORDÃO PRATEADO SAINDO DE SEU CORPO E ADENTRANDO O MAR. SERÁ VERDADE O QUE SEU FERNANDO ME CONTOU? SERÁ QUE NESSE MOMENTO NANDO, O AMANTE ILUMINADO E LENORA, A FILHA DO MAR, ESTÃO LÁ NO FUNDO DAS ÁGUAS DA JURÉIA COMPARTILHANDO SEU AMOR!...SERÁ?


GASTÃO FERREIRA/IGUAPE/SP
gastaodesouzaferreira.glospot.com

AS SERPENTES DA JURÉIA


AS SERPENTES DA JURÉIA


EXISTEM PESSOAS QUE CRIAM GATOS, OUTRAS CÃES. ALGUMAS CRIAM GALINHAS E OUTRAS CRIAM ATÉ MESMO JACARÉS. MAS EU NUNCA OUVIRA FALAR, NÃO DE PESSOAS, MAS DE UM POVO INTEIRO QUE SE DEDICASSEM A CRIAÇÃO DE SERPENTES. NO RIO DAS PEDRAS, DONA MIRNA TEM FAMA DE FEITICEIRA, DE BRUXA MESMO, DAQUELAS DE VASSOURA E TUDO. TODOS EVITAM PASSAR PERTO DE SUA PEQUENA MORADA, TEMEROSOS DE SEU MAU OLHADO. SE BEM QUE QUANDO A QUESTÃO É DESAFETO, AMOR NÃO CORRESPONDIDO, VEM GENTE ATÉ DA CAPITAL A SUA PROCURA.
CONHEÇO A VELHA MIRNA, CREIO PRIVAR DE SUA AMIZADE, ELA NA VERDADE NÃO É O QUE AS PESSOAS QUEREM QUE SEJA. É SIM, UMA ALMA BONDOSA, SEMPRE ABERTA AO JOGO DURO DA VIDA. VÊ NO PRÓXIMO UM IRMÃO NECESSITADO. COM SEUS CHÁS E REZAS TÃO ANTIGAS, QUE NEM MESMO A MEMÓRIA DA PESSOA MAIS VIVÍDA PODE LEMBRAR DE QUE VELHO LIVRO FOI COPIADA. DONA MIRNA É ASSIM, AJUDA SEMPRE, POR VEZES AJUDA ATÉ MESMO A MORRER, DE ONDE LHE VEM A FAMA DE FEITICEIRA E MÁ.
HOJE RESOLVEU CONFIAR-ME SEU SEGRÊDO, POIS SOU UMA DAS POUCAS PESSOAS QUE NUNCA A MALTRATOU. ELA NÃO É DE NOSSA REGIÃO, NASCEU PARA ALÉM DAS SERRAS DE ITATINS, NUMA PEQUENA ALDEIA PERDIDA NA DENSA VEJETAÇÃO DA MATA ATLANTICA, QUE BEM POUCAS PESSOAS SABEM DA EXISTÊNCIA. SEU POVO, É ASSIM QUE CHAMA A SUA GENTE, SE DEDICA A CULTURA DE SUBEXISTÊNCIA E AO TREINAMENTO DE SERPENTES, QUE SÃO POR VEZES UTILIZADAS PARA CURA, OUTRAS PARA AVISO DE PERIGO E MUITAS E MUITAS VEZES PARA VINGANÇA.
- PARA VINGANÇA? PERGUNTEI...
- SIM MEU AMIGO! VINGANÇA TAMBÉM É PARTE DA NATUREZA DO BICHO HOMEM.
- MAS A SENHORA NÃO VIVE FALANDO QUE O QUE VALE É AJUDAR?
- SIM! MAS A VINGANÇA É TAMBÉM UMA FORMA DE AJUDA. TANTO PARA QUEM SE JULGA DONO DA LEI E RECLAMA PARA SÍ O DIREITO DE JULGAR SEUS SEMELHANTES, COMO PARA AQUELE QUE SOFRE O EFEITO DE UMA LEI BEM MAIS ANTIGA E QUE POR DESCONHECÊ-LA ACREDITA SER UMA VINGANÇA DE HOJE.
- É! REALMENTE BEM POUCO ENTENDO DÊSSES ASSUNTOS...
- MAS EU ENTENDO E MUITO! AS SERPENTES VINGADORAS, COMO SÃO CHAMADAS, NA VERDADE NADA TEM DE SOBRENATURAL. APENAS FORAM TREINADAS A REAGIR A CERTOS ODORES, E COMO TODO O OFÍDIO TEM UM OLFATO TREMENDAMENTE DESENVOLVIDO, QUANDO SOMOS PROCURADOS PARA FINS DE VINGANÇA, PEDIMOS UMA PEÇA DE ROUPA DA VÍTIMA OU ALGO QUE TENHA RETIDO O SEU CHEIRO. DEPOIS TREINAMOS A SERPENTE A REAGIR VIOLENTAMENTE A TAL ODOR, QUANDO DAMOS POR ENCERRADO O TREINAMENTO CHAMAMOS A PESSOA QUE PEDIU A VINGANÇA E A INSTRUIMOS A LIBERTAR O RÉPTIL EM LOCAL PRÓXIMO DA VÍTIMA. É TIRO E QUEDA... A PESSOA É PICADA E SEMPRE MORRE, PARA AS SERPENTES VINGADORAS NÃO HÁ ANTIDOTO, ELAS SÃO NATURAIS DE NOSSA TERRA E MESMO LÁ SÃO RARAS, BEM POUCAS PESSOAS FORA DE NOSSO POVO AS CONHECEM.
- MAS DONA MIRNA!... ISSO É CRIME! SE A SENHORA FOR DELATADA AS AUTORIDADES É PRISÃO NA CERTA!
- MAS QUEM PODERIA DELATAR UMA POBRE VELHA COMO EU? AQUI SÓ EU E VOCE CONHECEMOS O SEGRÊDO DAS SERPENTES VINGADORAS. TALVÊZ EU NÃO DEVESSE TER CONFIADO EM VOCE!
-QUE É ISSO DONA MIRNA! POR MIM TUDO BEM! PODE FICAR TRANQUILA... PÔXA COMO É TARDE!... ATÉ AMANHÃ DONA MIRNA... DURMA BEM!
CHEGUEI EM CASA, AINDA ESTOU UM TANTO APAVORADO COM A HISTÓRIA DA VELHA... HÁ POUCOS INSTANTES OUVÍ UM BARULHO NO PORTÃO... DEVE SER O VENTO!
ENQUANTO ESCREVO ESSA HISTÓRIA SINTO-ME INQUIÉTO... NESSA CASA ANTIGA, CHEIA DE PEQUENOS BURACOS... SINTO UMA FISGADA NA PERNA... UMA DORZINHA INSIGNIFICANTE... UMA SERPENTE VERDE-AZULADA... SAINDO...PELO......VÃO.......DA......


GASTÃO FERREIRA/IGUAPE/SP
gastaodesouzaferreira.blogspot.com

O ULTIMO UNICÓRNIO


O ULTIMO UNICÓRNIO


QUANDO OS ANTIGOS DEUSES ABANDONARAM A TERRA, NO ALVORESCER DA CIVILIZAÇÃO, LEVARAM CONSIGO OS DRAGÕES, AS SEREIAS, OS CAVALOS ALADOS, A ESFINGE, A QUIMÉRA, AS FÊNIX, OS CENTAUROS, OS GRIFOS E OS GIGANTES. FORAM ACOMPANHADOS PELO POVO DO MAR, OS TRITÕES E OS NETUNOS, ALEM DOS ELFOS, GNOMOS, FADAS E SILFIDES, QUE REPRESENTAVAM OS POVOS PEQUENOS E MÁGICOS QUE HABITAVAM AS FLORESTAS E RIOS DA EUROPA, ASIA E ÁFRICA.
ALGUNS ELEMENTOS DESSAS RAÇAS ANTIGAS, NA HORA DA PARTIDA PERDERAM-SE DE SEUS COMPANHEIROS E COMO TEM UMA LONGA VIDA FORAM AVISTADOS EM MUITOS LUGARES ATRAVÉS DOS TEMPOS.
OS DRAGÕES RARAMENTE SÃO VISTOS, SABE-SE QUE NA IDADE MÉDIA OS SENHORES FEUDAIS ORGANIZAVAM EXPEDIÇÕES DE CAÇA A FIM DE CAPTURÁ-LOS, MAS NÃO HÁ COMPROVAÇÃO DE QUE TENHAM OBTIDO ÊXITO, DIZEM QUE UM TAL DE JORGE MATOU UM DRAGÃO, MAS SEU CORPO NUNCA FOI ENCONTRADO, O DRAGÃO É LÓGICO, NÃO O JORGE QUE PODE SER VISTO EM MUITAS FOTOS PRATICANDO O FEITO.
AS SEREIAS ERAM COMUNS NOS MARES HELENICOS ATÉ O QUINTO SÉCULO ANTES DE CRISTO. PELAS CRÔNICAS QUE CHEGARAM ATÉ NÓS, ULISSES OU ODISSEUS, FOI O ÚLTIMO MORTAL A AVISTÁ-LAS.
DOS CAVALOS ALADOS APENAS UM FICOU EM TESSÁLIA, NA GRÉCIA. PEGASUS FOI DOMADO E MONTADO POR PERSEU, MAS UM BELO DIA VOOU PARA OS CÉUS EM BUSCA DE SEUS IGUAIS E FOI TRANSFORMADO NA CONSTELAÇÃO PEGASUS.
DOS POVOS MÁGICOS VÊZ POR OUTRA SE TEM NOTÍCIAS. UMA BOA FADA OU UM GNOMO BRINCALHÃO É AVISTADO POR CRIANÇAS, MAS COMO AS MÃES OS PROIBEM DE RELATAR PARA OUTROS, FATOS TÃO INUSITADOS, POUCO PODEMOS CONHECER SOBRE AS ANDANÇAS DESSE POVO.
O UNICÓRNIO, UM PEQUENO CAVALO, COM UM ÚNICO CHIFRE NO MEIO DA TESTA, É O MAIS RARO ANIMAL MITOLÓGICO A SER LOCALIZADO. É UM SER MÁGICO, TEM A PROPRIEDADE DE TELEPORTAR-SE (IR DE UM LUGAR PARA OUTRO ATRAVÉS DA FÔRÇA DO PENSAMENTO), SENDO ASSIM, DIFÍCIL AFIRMAR COM PRECISÃO SE REALMENTE FOI AVISTADO OU NÃO. TODOS AQUELES QUE JULGARAM TÊ-LO VISTO, MUDARAM DE OPINIÃO, DIZENDO NÃO TEREM CERTEZA ABSOLUTA DO QUE VIRAM. DIZEM OS ENTENDIDOS EM MITOLOGIA QUE UM ÚNICO UNICÓRNIO PERMANECEU NA TERRA, COMO PRESENTE DOS VELHOS DEUSES A NOVA HUMANIDADE, E, ENQUANTO ESSE UNICÓRNIO VIVER NA TERRA OS HOMENS TERÃO ESPERANÇA. POR SER UM ANIMAL MÁGICO É ETERNO, MAS PODE SER MORTO COMO QUALQUER SER VIVO, PO ISSO TEMOS QUE FICAR VIGILANTES PARA QUE NÃO ACABEM COM ELE. NO DIA EM QUE O ÚLTIMO UNICÓRNIO FOR ASSASSINADO TAMBÉM A ESPERANÇA DOS HOMENS DESAPARECERÁ.


GASTÃO FERREIRA/IGUAPE/SP
gastaodesouzaferreira.blogspot.com

DOS RATOS E HOMENS


DOS RATOS E HOMENS (FÁBULA)


AS CASAS FORAM INVADIDAS SILENCIOSAMENTE. ALGUNS ESTUDIOSOS AFIRMAM QUE ELES CHEGARAM COM O DESCOBRIDOR, JÁ QUE OS ABORÍGINES DESCONHECIAM O NOME PELO QUAL ERAM CONHECIDOS:- RATOS.
NO INICIO ERAM POUCOS, POIS AS CARAVELAS RARAMENTE APORTAVAM NO LUGAREJO. ESGUEIRARAM-SE DOS PORÕES, GANHARAM OS CASARIOS E ESCONDERAM-SE NOS ARMAZENS. ENTRE FARDOS DE PRODUTOS IMPORTADOS ENGORDARAM E PROLIFERARAM.
QUANDO SE ACHARAM SUFICIENTEMENTE FORTES E NUMEROSOS, ATACARAM E TOMARAM A POPULAÇÃO COMO REFÉM. ELEGERAM UM LÍDER E CONSTITUIRAM UMA CÔRTE ÁVIDA PARA DESTRUIR A COMUNIDADE HUMANA INDOLENTE.
O BOM SENSO PREVALECEU. SE DESTRUISSEM COMPLETAMENTE A CIVILIZAÇÃO NÃO TERIAM QUEM OS ALIMENTASSEM GRATUÍTAMENTE, POIS SUA ESPÉCIE NÃO ERA DADA AO TRABALHO, MAS SIM A RAPINAGEM.
APRENDIAM RÁPIDO E RAPIDAMENTE FORAM SE TRANSMUDANDO EM HUMANOS. APENAS NA APARÊNCIA, EM SUAS MENTES E CORAÇÕES PERMANECIAM RATOS.
O TEMPO PASSOU E O PEQUENO POVOADO TRANSFORMOU-SE EM VILA, COMARCA, CIDADE. OS RATOS ENRIQUECERAM, ERAM UNIDOS ENTRE SI E FICAVAM SEMPRE COM A PARTE PODRE DE QUALQUER NEGOCIATA, A QUAL DAVA OS MELHORES LUCROS. SABIAM QUE PODERIAM CONTAR COM O AUXÍLIO DE RATOS IMINENTE EM CARGOS EXTRATÉGICOS, QUE OS LIVRARIAM DA RATOEIRA.
OS RATOS NÃO ERAM BURROS, OS BURROS ERAM PARENTES POBRES DOS CAVALOS. OS RATOS ERAM APENAS RATOS, E POR INSTINTO EXPLORAVAM A INGENUIDADE HUMANA. AOS CACHACEIROS DAVAM PINGA. AOS SEM DENTES, DENTADURAS. AOS SEM TÉTOS, UNS TIJOLINHOS E TELHAS. AOS FAMINTOS, CESTAS BÁSICAS. E ASSIM FORAM AUMENTANDO SEU DOMÍNIO SÔBRE OS TOLOS E INTERESSEIROS. COMO OS RATOS NÃO TRABALHAVAM, NECESSITAVAM DE MARACUTAIAS, MENSALÕES, MENSALINHOS, SUPERFATURAMENTO, PARCERIAS E GRITOS PARA TEREM A BOA VIDA QUE LEVAVAM.
O NEPOTISMO ERA UM TRAÇO COMUM. SOMENTE ENTRE ELES SE SABIA QUEM ERA OU NÃO APARENTADO A RATO. QUEM NÃO ERA NÃO TINHA VÊZ, POR MAIS QUE JURASSE QUE TINHA PAVOR DE RATOEIRA E ADORASSE QUEIJO. RATO CONHECE RATO PELO CHEIRO, E O ESTRANHO ERA SEMPRE DESCARTADO. ALGUNS CAMUNDONGOS, RATOS DEGENERADOS, ERAM UTILIZADOS COMO ESPIÕES, DEDO-DURO, ALCAGUETAS, E COMO ERAM CORROMPÍVEIS FAZIAM QUALQUER SERVIÇO SUJO, APENAS PARA SEREM APONTADOS COMO PARENTES OU APANIGUADOS DOS VERDADEIROS RATOS.
UM RATO VERDADEIRO ERA RECONHECIDO POR SUA DESONESTIDADE, FALTA DE CARÁTER, CARA DE PÁU E FACILIDADE NO MENTIR, POIS MESMO QUE JÁ TIVESSE SIDO PRÊSO OU SETENCIADO, SE CONSIDERAVA ÍNTEGRO E EXEMPLAR, E AÍ DE QUEM O LEMBRASSE DO FATO, PODERIA SOFRER UM PROCESSO POR DIFAMAÇÃO OU COISA PIOR.
A CIDADE DOMINADA A SECULOS PELOS ROEDORES ESTAVA A MINGUA SANGRAVA MORIBUNDA, SEM FUTURO, ENTREGUE AO DESTINO, PRONTA PARA APAGAR A ÚLTIMA LUZ E ESQUECER A CONTA, QUANDO A NOTÍCIA VAZOU:- ALGUNS GATOS RONDAM AS CERCANIAS!
ANOS DEPOIS... NUNHUM RATO RESTOU NA REDONDEZA, O ÚLTIMO ROEU
A ROUPA DO REI E A RAINHA RAIVOSA ROEU O RESTANTE. OS GATOS SÃO CARNÍVOROS, ANIMAIS RAPINANTES, NÃO PLANTAM NEM FIAM E ESTÃO ASSUMINDO ASPECTOS HUMANOS. DIZEM QUE UMA MATILHA DE CÃES FERÓZES FOI AVISTADA. TOMARA QUE OS HUMANOS DEPOIS QUE OS CACHORROS FIZEREM A FESTA, EXPULSEM OS CÃES E SALVEM A CIDADE SE ELA SOBREVIVER.

MORAL DA HISTÓRIA: SÓ OS IGUAIS SE ENTENDEM



GASTÃO FERREIRA/IGUAPE/SP
gastaodesouzaferreira.blogspot.com

CANTOS DE PINDORAMA


JÁ FÁZ QUINHENTOS ANOS
QUE ESSA HISTÓRIA COMEÇOU.
PROMETEU! TROUXE A CHAMA
QUE DO OLIMPO ROUBOU...

JUNTO AOS DEUSES DA MATA
CURRUPIRA, BÔTO, ANHANGÁ...
AS YARAS E AS CASCATAS
VELAM OS OLHOS DE TUPÃ...

NUMA TERRA SEM FRONTEIRAS
SOLO FÉRTIL, CÉU DE ANIL,
CARAVELAS ESTRANGEIRAS,
APORTARAM... FINS DE ABRIL!

PECADO E PADRES CHEGARAM
COM AS NAVES VINDAS DE LÁ...
E OS MANITÚS SE CALARAM...
... ARTIMANHAS DE ANHANGÁ?

PLANTA, OURO, PEDRARÍAS...
O BRANCO TUDO A SAQUEAR.
ENQUANTO EUROPEU SORRIA
O INDIO ESTAVA A CHORAR...

ESCRAVIZARAM GUERREIROS
FILHOS DA MATA E DO CÉU...
HOMENS ONTEM ALTANEIROS
PROVARAM DO NEGRO FÉL...

DIVIDIRAM NOSSAS TERRAS.
ROUBARAM O QUE ERA MEU...
TRANSFORMARAM-NOS EM FERAS
... APAGA A LUZ!... PROMETEU...

AO RAIAR DE UM NOVO DIA
PARA AUMENTAR MINHA DOR
O SOL QUE NO CÉU ARDIA,
FECHAVA OS OLHOS DE HORROR...

DA ÁFRICA ROUBAM OS FILHOS,
DESTRUINDO SEUS CONGÁS...
SEM DEUS, SEM LUZ, SEM FAMÍLIA
... BRILHAM OS OLHOS DE ANHANGÁ!

A TRIBO DOS HOMENS NEGROS
E OS INDIOS NO SEU PENAR,
JUNTARAM SONHO E SAUDADES
AO HOMEM BRANCO, SEM LAR...

E ENTRE ERRO E ACÊRTO
QUINHENTOS ANOS PASSARAM.
QUE É QUE SABE AO CERTO
QUANTAS LÁGRIMAS ROLARAM?

FOI A NAÇÃO BRASILEIRA
QUE ASSIM VEIO A NASCER:
-E RIO, REGATO E CACHOEIRA
NO MESMO MAR VEM VIVER...


( 500 ANOS DO DESCOBRIMENTO)


GASTÃO FERREIRA/IGUAPE/SP

EU SOU CARAVELA


QUEM PLANTA A SEMENTE
QUEM FÁZ A CANÇÃO?
QUEM COLHE DA TERRA
O PRANTO E O PÃO?

QUEM FÊZ ESSAS MATAS
QUEM FÊZ ESSE MAR...
FÊZ RIOS E CASCATAS
E FÊZ MEU SONHAR...

NO EMBALO DA REDE
EU FICO A CISMAR...
SABER É UMA SEDE
QUE VEM PELO AR...

DE DENTRO DO PEITO
ME BATE UMA DOR
QUE CHEGA SEM JEITO
NEM PEDE FAVOR...

NÃO PLANTE A SEMENTE!
NÃO OUÇA A CANÇÃO...
NÃO AME ESSA TERRA
TEU CANTO? É ILUSÃO...

NÃO PESQUE O PEIXE
NÃO COLHA TEU PÃO
NÃO PODE! NÃO DEIXE!
PASSAR NO TEU CHÃO...

SÃO TANTAS PESSOAS
DE BONS CORAÇÕES
SALVANDO O MUNDO
FAZENDO SERMÕES...

EU CÁ NO MEU CANTO
MATUTO SOZINHO...
QUEM É ESSA GENTE?
QUE VEM DE MANSINHO

TIRAR O SOSSÊGO
GOSTOSO QUE TENHO.
QUE QUEREM BARRAR
O RIO? O ENGENHO?

SÃO LÁ DA CIDADE!
ME DÍZ UMA VÓZ...
NÃO VEJO MALDADE!
ELAS LUTAM POR NÓS...

JÁ VEM TUDO ESCRITO
É SÓ ASSINAR...
NEM NOTAM MEU GRITO
O MEU SOLUÇAR...

NÃO TENHO A ESPERTEZA
NEM SOU TÃO GENTIL...
SOU SIMPLES CABOCLO
DO FIM DO BRASIL...

SOU FRUTO DA TERRA
A MATA É MEU LAR
O MEDO ME ESPERA
EM OUTRO LUGAR...

TALVÊZ A FAVELA!
JAMAIS O LUAR...
EU SOU CARAVELA
AQUI DESSE MAR...

POR ISSO DOUTORES
ME DEIXEM FICAR...
DAQUI SÃO AS DORES
MEU SUOR!...MEU SONHAR!




(DESAPROPRIAÇÃO DA JURÉIA)



GASTÃO FERREIRA/IGUAPE/SP

PARA IGUAPE COM AMOR



AS CARAVELAS PARTIRAM
LEVANDO DAQUI AS PRAGAS.
ERA O QUE ELES DIZIAM
E O QUE TODOS PENSAVAM...

COM O DESCOBRIDOR AUSENTE
VAMOS MUDAR A PAISAGEM!...
DIZIA O PRÍNCIPE INFANTE
COMO CRIANDO UMA IMAGEM.

E NÃO É QUE ACREDITARAM
EM TUDO O QUE ELE DIZIA
E UM ALTO PREÇO PAGARAM
PRA TER A MESA VAZIA...

OH HISTÓRIA TÃO ANTIGA!
JÁ DIZIA A MINHA AVÓ...
TAMANDUÁ VIROU FORMIGA
...AMOR DE CUPIM É PÓ!

QUEM FOI QUE EVOCOU A PRAGA
DE AQUI NÃO IR PRA FRENTE?
TEM TUDO PARA DAR CERTO
MAS MATA O SONHO DA GENTE!

O QUE TEMOS É VERGONHA
DE APONTAR O QUE SE VÊ!
DE TER MEDO DO FUTURO
DE EXPOR NO QUE SE CRÊ...

DE AMAR ESSA CIDADE
COM ALMA CARINHO AÇÃO!
DE TRANSFORMAR A MALDADE
CRIAR LUZ NA ESCURIDÃO...

DE COMEÇAR NOVAMENTE
MIL VEZES SE FOR PRECISO
E REPLANTAR A SEMENTE:
- ISSO AQUI É O PARAÍSO!...

TEMOS QUE ARRANCAR OS VÍCIOS
NÃO DOS OUTROS! MAS DE NÓS...
POIS QUEM JÁ ESTÁ CORROMPIDO
NÃO ESCUTA A PRÓPRIA VOZ...

VAMOS LIMPAR NOSSA HORTA
E EXTERMINAR AS MÁGOAS...
VAMOS ABRIR NOSSA PORTA
AO VENTO QUE NOS AFAGA...

E ACREDITAR NO FUTURO,
SENÃO ESTAREMOS FRITOS,
PERDIDOS NA MATA ESCURA
TEMEROSOS E AFLITOS...

DO POVO TEM QUE PARTIR
NOVA E SERENA VISÃO...
É O POVO QUEM VAI SORRIR
OU CHORAR NA CONTRAMÃO.

PAPAI DO CÉU TA BRABINHO
POIS DO MELHOR NOS CERCOU
E NOSSO PRÓPRIO DIABINHO
SEU PRESENTE DETONOU...

COM OS BRAÇOS BEM ABERTOS
MAS SEM ABRAÇAR NINGUÉM
O HOMEM LÁ DA MONTANHA
JÁ NOS OLHA COM DESDEM...

MEU POVO TOMA CUIDADO!
O TEMPO ESTÁ A PASSAR...
A VACA JÁ FOI PRO BREJO
E FOI SERVIDA NUM JANTAR...


GASTÃO FERREIRA/IGUAPE/2007

AMAR E SOFRER


SE MORRE TODOS OS DIAS
POR ESSA FALTA DE PÃO.
SE MORRE TODAS AS HORAS
POR ESSA FALTA DE CHÃO...

SE MORRE DE MIL MANEIRAS
MESMO QUERENDO VIVER
SE MORRE ATÉ DE AFETO
DE TANTO AMAR E SOFRER

SE MORRE EM PONTA DE FACA
SE MORRE EM MESA DE BAR
O BANDIDO ATRÁS DA BALA
O PESCADOR NO SEU MAR...

E ASSIM A VIDA NAMORA
A MORTE SEU GRANDE AMOR
UM DIA O BARCO NAUFRAGA
LEVANDO CONSIGO A DOR...

A MORTE BRINCA DE VIDA
EM TODO E QUALQUER LUGAR
JOGO DE CARTAS MARCADAS
UM A UM NOS VEM BUSCAR...

POR ISSO O QUE VALE A PENA
É O QUE PODEMOS LEVAR
NA ALMA VAI A BAGAGEM
MAIS FÁCIL DE CARREGAR...

UM SORRISO, UM ABRAÇO,
UM FAVOR SEM PRETENÇÃO
UMA AMIZADE SINCÉRA
UM PEDIDO DE PERDÃO...

UM OLHAR SEM PRECONCEITO
A LEMBRANÇA DE UM BEM...
BOA SEMENTE PLANTADA
NO CORAÇÃO DE ALGUÉM...

AQUELE GESTO DE AFÉTO
QUANDO NINGUÉM NOS PEDIU
AQUELE POUCO NO PRATO
QUE COM OUTRO DIVIDÍU...

SÃO ESSAS COISAS QUE CONTAM
NO FIM DE NOSSA VIAGEM
TÃO PEQUENAS, CUSTAM POUCO
MAS TORNAM LEVE A BAGAGEM

SE MORRE DE MIL MANEIRAS
MESMO QUERENDO VIVER...
SE MORRE TODAS AS HORAS
DE TANTO AMAR E SOFRER...


GASTÃO FERREIRA/IGUAPE/SP

FEITO GAROA


TUA LEMBRANÇA CHEGOU
FEITO GAROA...
ADORMECENDO A TARDE
E O TEMPO VÔA...

AINDA GUARDO
O TEU RETRATO...
O TEU DESTRATO
A DOR ATÔA...

BRICA NO MEU SONHO
A TUA VÓZ...
O TEU PERFUME
É MEU ALGÓZ...

CHORA UMA SAUDADE
DENTRO DA ALMA
A TARDE CALMA
CHAMA TEU NOME...

APAGA A LUZ DO SOL
NASCE UMA ESTRÊLA
AQUECE A CHAMA...
DANÇA UM VULCÃO
DISPARA O CORAÇÃO...
CHAMO TEU NOME
E A SAUDADE RESPONDE
FEITO GAROA...


GASTÃO FERREIRA/IGUAPE/SP

MENINO MADRUGADA


AQUELE MENINO
TÃO VALENTE
TÃO FRANZINO...

QUEBRAVA VIDRAÇA
JOGAVA UMA BOLA
FAZIA PIRRAÇA...

APENAS CRIANÇA
PROVANDO O MUNDO
COM DESCONFIANÇA...

MAU NÃO ERA...
UMA SEMENTE
SÓ NA ESPERA...

NA ESPERA DO PÃO
NA ESPERA DO PAI
NA ESPERA DO CHÃO

NA ESPERA DO DIA
NA ESPERA CONFORTO
VIVER? QUE AGONÍA...

MAS O QUE ELE VIA
DE SUA JANELA
JAMAIS ENTENDÍA...

POLÍCIA CORRENDO
MENDÍGO NA RUA
O POVO SOFRENDO...

E O MUNDO GIRANDO
NEM BOM NEM RUIM
SOMENTE PASSANDO

NÃO VAI A ESCOLA...
NINGUÉM A COBRAR
A VÊZ É DA COLA...

DEPOIS É DA RUA...
MENINO APRENDÍZ
MENINO SEM LUA

PERDEU SUA ALMA
A SUA INOCÊNCIA...
AGORA SEM CALMA

FUGIR E FUGIR
ROUBAR E VENDER
VENDER E MENTIR...

A BALA PERDIDA
MAS COM DIREÇÃO
TIROU SUA VIDA...

A VIDA TÃO POUCA
TÃO POUCO DUROU
A VIDA TÃO LOUCA...

FOI SÓ UM SEGUNDO
UM GRITO NO TEMPO
NO TEMPO DO MUNDO

FOI COISA PERDIDA
LARGADA DEIXADA
A VIDA VIVÍDA...

FOI SÓ UM MENINO
QUERENDO APRENDER
PROVAR DO DESTINO

FOI UMA CRIANÇA
QUE NUNCA CRESCEU...
FOI SÓ ESPERANÇA

NÃO AMANHECEU...
FOI SÓ MADRUGADA
MAS COMO DOEU!


GASTÃO FERREIRA/IGUAPE/SP

VIDA SEM VIDA


VIDA SEM VIDA


POR TRÁS DE VIDROS
ESPIAM A RUA
A ALMA TORTA
TUDO INSINÚA...

MEDO DE VIDA
MEDO DE AMAR
VIDAS SOFRIDAS
VIDA A SECAR...

NOS OLHOS BAÇOS
INVEJA PURA
SEGUEM OS PASSOS
DAS CRIATURAS

RAPINAM SONHOS
DENIGREM GENTES
NA SALA ESCURA
DE SUAS MENTES

SE SENTEM SALVOS
NA ESCURIDÃO
MAS ESTÃO MORTOS
NESSA PRISÃO...

INVEJAM TUDO
INVENTAM AMORES
MATAM DESEJOS
COM SEUS TEMORES

REZAM AOS SANTOS
PEDINDO PÁZ...
CRAVAM PUNHAIS
EM SEUS IGUAIS...

SÃO MORTOS VIVOS
SEMPRE FAMINTOS
PARE NO TEMPO!...
OUÇAM SEUS GRITOS

PEDEM SOCORRO
NUNCA O PERDÃO
SE ACHAM CERTOS
NA CONTRAMÃO...

E A VIDA COBRA
O SEU QUINHÃO
E O PRÊÇO PAGO?
É A SOLIDÃO...


GASTÃO FERREIRA/IGUAPE/SP

terça-feira, 9 de dezembro de 2008

SONHO PESCADOR


SONHO PESCADOR



A NOITE ADENTRO
SOU NAVEGADOR...
CANTOS DE SEREIA
SONHO PESCADOR


NO MEU PEITO AMANTE
NINHO DE PUNHAIS...
AMORES? MEUS BARCOS
EM DISTANTES CÁIS...


VIDA QUE PALPITA
NESSAS PRAIAS NÚAS
TRÁZ NA VÓZ DO VENTO
AS LEMBRANÇAS TUAS...


QUANDO NOITE ADENTRA
SOU NAVEGADOR...
CANTOS DE SEREIA
SONHO PESCADOR...



GASTÃO FERREIRA/IGUAPE/SP

PROFESSÔRA


PROFESSÔRA


MÃOS QUE ENSINAM A ESCREVER
MÃOS QUE ENSINAM A PLANTAR
MÃOS QUE NOS FAZEM CRESCER
MÃOS QUE NOS FAZEM LEMBRAR

NO TEU VIVER PROFESSÔRA
ESQUECE A DOR O TEU LAR,
PLANTA A ÁRVORE CULTURA
PLANTA A ÁRVORE SONHAR...

QUANDO VELHA E ESQUECIDA
OLHANDO O ALUNO A PASSAR
SAIBA QUE A GUERRA VENCIDA
VÓS ENSINASTES A GANHAR...

POIS A SEMENTE PLANTADA
NA TERRA BOA GERMÍNA...
EMBORA JÁ TÃO CANSADA,
SERÁ ETERNA MENINA...



GASTÃO FERREIRA/IGUAPE/SP

É FIM DE TARDE


É FIM DE TARDE


É FIM DE TARDE E IGUAPE ESTÁ SORRINDO
O SOL SUMINDO ENTRE NUVENS DE VERÃO
HÁ UMA QUERÊNCIA DE VIDA RESURGINDO
ABRINDO AS ASAS AOS VENTOS DA ILUSÃO.


É FIM DE TARDE NAVEGANDO NOS MEUS SONHOS
RECOLHE A REDE DA CANOA UM PESCADOR...
NO PEITO AFAGA ESPERANÇAS ONDE SUPONHO
VAGAM PASSADAS SOMBRAS DE UM AMOR...


AMOR E SONHO SE MISTURAM NESSA DANÇA
TRAZENDO RESTOS DE MEMÓRIA A BAILAR...
TODA UMA VIDA SUSPENSA NA LEMBRANÇA
QUE HOJE SÃO DORES PARA RECORDAR...


É FIM DE TARDE A SAUDADE ABRINDO A PORTA
POUCO SE IMPORTA SE ASSIM ME CAUSA DOR...
CANOA E REDE VÃO SUMINDO MAR A FORA
LEVANDO AS MÁGOAS DO MEU PEITO SONHADOR!



GASTÃO FERREIRA/IGUAPE/SP

FONTE DO SENHOR


FONTE DO SENHOR



FONTE QUE BROTA DA SERRA
QUE CAI DA PEDRA NO CHÃO
ÁGUA QUE O SEIO DA TERRA
A TRANSFORMOU EM CANÇÃO


CLARA FONTE CRISTALINA
ONDE DEUS LAVOU A DOR
QUERO LAVAR MINHA SINA
NAS ÁGUAS DO SEU AMOR!


O TEMPO PASSA E ESQUECE
O POVO VEM RECORDAR...
A SUA LUZ QUE ESCLARECE
ILUMINA ESSE LUGAR...


POR ENTRE O VERDE DA MATA
SUA PÁZ VEM ATÉ NÓS...
AO LONGE O SOM DA CASCATA
É O MURMÚRIO DE SUA VÓZ!



GASTÃO FERREIRA/IGUAPE/SP

CANÇÃO DO VENTO


CANÇÃO DO VENTO


POIS SE A VIDA MARCA
COM FATAL DESTREZA
TANTO AS ANGÚSTIAS
COMO AS INCERTEZAS.


MARCARÁ POR CERTO
NO SORRISO TEU
O OLHAR DE AFETO
QUE BRILHA NO MEU


O VENTO QUE PASSA
PROVANDO TEU GOSTO
QUANDO ELE VOLTAR
BEIJARÁ MEU ROSTO...


E NÓS DOIS VELHINHOS
NA TELA DO TEMPO
LEMBRANDO JUNTINHOS
DA CANÇÃO DO VENTO...


POIS A VIDA MARCA
COM FATAL CERTEZA
TODAS AS VENTURAS
TODAS AS BELEZAS...


GASTÃO FERREIRA/IGUAPE/SP

PEQUENA SEREIA


PEQUENA SEREIA


PEQUENA SEREIA
TREMENDO DE FRIO
CANTANDO CANTIGAS
A BEIRA DO RIO...

PEQUENA SEREIA
NAMORA O NAVIO
CUIDADO CRIANÇA!
POIS ELE TE VIU...

QUEM SABE TE LEVE
PRÁ LONGE DE NÓS
PRÁ TERRAS DISTANTES
CALANDO TUA VÓZ...

NÃO SIGA COM ELE
É TUDO ILUSÃO...
NÃO SIGA COM ELE
AQUI É O TEU CHÃO!

O MUNDO É IGUAL
EM TODO O LUGAR
PEQUENA SEREIA
AQUI É O TEU LAR!


GASTÃO FERREIRA/IGUAPE/SP

EU NÃO SEI


EU NÃO SEI


OLHO POR TODO O MEU PASSADO E VEJO,
QUE SOU AQUILO EM QUE ME TRANSFORMEI.
SALVO O QUE O VAGO E INCÓGNITO DESEJO
MARCOU NOS SONHOS E QUE NÃO LEMBREI!


COMO ALGUÉM DISTRAIDO NA VIAGEM
SIGO POR DOIS CAMINHOS, PAR A PAR...
SOU COM O MUNDO PARTE DA PAISAGEM
COMIGO VOU SEM VER, SEM ME NOTAR...


SEI QUE MEU CORPO É SÓ UMA ROUPAGEM
DOS TEMPOS-SERES DE QUE SOU O VIVER...
QUE ESTOU POR ESSA TERRA DE PASSAGEM
TENTANDO A PRÓPRIA VIDA COMPREENDER


REVÔLVO ASSIM POR INTEIRO O PENSAMENTO
O QUE SOU?...O QUE FUI?...O QUE SEREI?...
UM DILATADO E MÚRMURO MOMENTO!
A RESPOSTA É A DE SEMPRE:- EU NÃO SEI!



GASTÃO FERREIRA/IGUAPE/SP

APRENDER


APRENDER


A LUZ DE REMOTAS ERAS
AOS CÉUS ERGUI MEU OLHAR
MEUS SENTIMENTOS DE FERA
EU OS QUERIA DOMAR...

A TERRA É MEU CAMINHO
MINHA ESCOLA DE VIVER
ENTRE A FLOR E O ESPINHO
A DOR ME FÁZ APRENDER

NA VIDA O QUE IMPORTA
É CUMPRIR BEM A MISSÃO
A DOR QUE BATE NA PORTA
VEM NOS COBRAR A LIÇÃO

COMO DIAMANTE PERFEITO
UM DIA QUERO BRILHAR...
DÔRES QUE DORMEM NO PEITO
FERAS QUE VÃO ME ENSINAR...

NA TERRA, ESCOLA QUERIDA,
O TEMPO SEMPRE A PASSAR
TRAZENDO A VIDA PRÁ VIDA
NUM ETERNO RETORNAR...

APROVEITA O TEU MOMENTO
PÕE AMOR NO CORAÇÃO...
PÕE DEUS NO TEU PENSAMENTO
TRANSFORMA A DOR EM PERDÃO!


GASTÃO FERREIRA/IGUAPE/SP